funcionario saindo da empresa como calcular turnover

Aprenda como calcular o turnover da sua empresa

Spread the love

Controlar os índices de rotatividade é uma prática que garante o bom desempenho da empresa, e pode ser feito por meio de várias ferramentas estratégicas. Entretanto, para saber se essa taxa está elevada, é necessário aprender como calcular turnover.

O resultado é considerado como um dos medidores da performance de um negócio. Se no final do mês a conta não fecha ou se os gestores sentem que há perda na produtividade, o problema pode estar nas oscilações do quadro de funcionários.

Para que você entenda um pouco melhor sobre o assunto, continue a leitura do nosso artigo e descubra do que se trata exatamente o turnover, a importância em saber a forma para calcular e como, de fato, chegar ao resultado. Acompanhe!

O que é turnover?

Para que você aprenda como calcular turnover, em primeiro lugar, é necessário entender o seu conceito básico.

A expressão diz respeito ao índice de rotatividade, ou seja, a relação entre o número de colaboradores contratados e demitidos dentro de uma organização. Essa taxa varia de empresa para empresa, mas todas elas têm um ponto em comum: quando o índice é maior do que 5%, os impactos negativos começam a aparecer.

Geralmente, os níveis de produtividade dessas corporações são abaixo do esperado. Isso acontece porque a tendência é que as equipes estejam constantemente desfalcadas pela entrada e saída de colaboradores.

Com isso, as despesas com a rotatividade podem desequilibrar as contas. Encargos demissionais e admissionais e o treinamento dos recém-contratados consomem os recursos e o tempo que poderia ser investido em ações mais efetivas.

O turnover pode ser evitado por uma atuação mais estratégica por parte do setor de recursos humanos, com uma gestão de pessoas baseada em políticas mais atrativas e eficientes.

Por que é importante saber como calcular turnover?

Para que os índices de turnover sejam reduzidos, o primeiro passo é saber como calcular a taxa. Afinal, você já aprendeu que os custos para capacitar os recém-chegados são altos, assim como os valores relacionados à admissão e demissão de pessoal.

O índice de rotatividade também é considerado um dos principais indicadores de saúde organizacional. Sendo assim, mantê-los em níveis satisfatórios deve ser encarado como uma meta a ser alcançada pelos gestores.

O quadro pode ser ainda mais preocupante se o negócio tem como procedimento padrão a contratação de profissionais qualificados. O custo para atrair esses indivíduos pode ser considerado um investimento em vão, se não for acompanhado de políticas para a retenção desses talentos.

Conheça algumas estratégias que você pode adotar na sua empresa!

Aprimorar o processo seletivo

Um processo seletivo bem estruturado é o pontapé inicial para formar uma equipe engajada e qualificada. É importante que os candidatos escolhidos saibam exercer as funções propostas com maestria, mas também que estejam interessados em crescer junto com a empresa.

Dessa forma, apostar em recursos tecnológicos que possam aprimorar o ciclo de entrada desses trabalhadores na empresa é uma ótima pedida para atingir esses objetivos.

Desenvolver e incentivar o plano de carreira

Se a empresa deve priorizar aqueles que estão interessados em fazer parte do seu crescimento, é preciso criar oportunidades para que isso aconteça.

A política deve ser planejada com equilíbrio, considerando os interesses do negócio, mas também dos profissionais. Deve-se, ainda, ter um período estabelecido previamente. Por exemplo, é preciso que o colaborador apresente tais metas de desempenho em um prazo de 1 ano, para que possa subir de cargo.

A organização também deve oferecer ferramentas para que isso possa acontecer, como treinamentos e acompanhamento dos resultados, por meio de constantes feedbacks. Falaremos deles, a seguir.

Investir no treinamento dos seus funcionários

Oferecer programas de capacitações técnicas e comportamentais, para potencializar a qualidade do trabalho e promover a integração entre as equipes, faz com que os colaboradores sintam-se valorizados.

Ao garantir formação contínua para essas pessoas, a empresa demonstra que realmente está interessada em firmar uma parceria com o seu capital humano. Como resultado, a tendência é compor uma equipe produtiva e que não tenha interesse em procurar outros locais de trabalho.

Criar uma cultura de feedback

O feedback é umas das ferramentas disponíveis para que o colaborador saiba os pontos que precisam ser melhorados, entenda no que ele está acertando e perceba se está no caminho certo para alavancar a sua carreira dentro da empresa.

A prática traz mais segurança para o exercício das atividades no geral, e é também uma ótima oportunidade para estabelecer o diálogo entre gestores e equipes.

Especialmente quando feito de maneira individual, dando liberdade para que o profissional demonstre suas alegrias e frustrações. Isso permite que a empresa conheça seu time e promova ações mais eficazes para a retenção de talentos.

Oferecer benefícios

A retenção de talentos não é fruto de ações isoladas, mas de um conjunto delas. E os benefícios oferecidos são de extrema relevância para que esse objetivo seja alcançado.

Quando falamos nessas vantagens, nos referimos a políticas que vão além do vale-alimentação e do plano de saúde. Práticas criativas atraem os profissionais e evitam que a empresa perca seus melhores colaboradores para os concorrentes.

Pense em ações como a adoção do home-office para algumas funções, parcerias com academias e universidades, confraternizações bimestrais para metas batidas ou auxílio-creche, entre outros componentes, para formar um pacote interessante.

Como fazer o cálculo geral?

Agora que você já aprendeu tudo sobre a taxa de rotatividade e seus impactos, chegou a hora de saber como calcular o turnover e descobrir se a sua empresa precisa se livrar desse mal ou continuar investindo em sua prevenção!

Para descobrir, basta definir um período, somar a quantidade de contratações e demissões realizadas nesse tempo e dividir por dois. Depois, esse resultado deve ser novamente dividido pelo número total de colaboradores. Por último, esse número deve ser multiplicado por 100.

Vamos a um exemplo prático: sua empresa tem 200 funcionários, admitiu 8 e demitiu 3, em um período de 6 meses.

8 + 3 = 11

11/2 = 5,5

5,5/200 = 0,0275

0,02 x 100 = 2,75%

Parabéns! A taxa de turnover está bem abaixo dos 5% esperados! Isso significa que, provavelmente, a sua empresa faz uma boa gestão de pessoas!

Agora que você aprendeu como calcular turnover e descobriu as melhores maneiras de controlar a taxa e se prevenir dos impactos negativos, concentre seus investimentos em uma atuação estratégica preocupada em atrair e reter talentos.

Descubra outras maneiras de fazer isso começando pelos indicadores de desempenho que você deve observar além desse índice. Leia nosso artigo e saiba mais. Até breve!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.