Por que as empresas devem investir na análise de dados?

Tempo de leitura: 7 minutos

Empresas que visam ao crescimento precisam tomar decisões sábias em sua rotina, condizentes com a realidade e que garantam bons resultados também em longo prazo. Nesse contexto, temos a análise de dados, importante ferramenta para fornecer informações sobre os aspectos que permeiam todo o funcionamento do negócio.

Todos sabem que o mercado está cada vez mais competitivo e um erro pode fazer uma empresa perder várias posições diante da concorrência. Nesse espaço acirrado, enganos não são permitidos e é preciso agilidade na hora de decidir qual estratégia será utilizada.

Pensando nisso, elaboramos este texto para que você entenda qual a importância de mensurar o desempenho de uma empresa para atingir resultados satisfatórios. Continue a leitura e saiba mais!

O que é a análise de dados?

A análise de dados é, basicamente, a transformação dos números em informação. É usada para estabelecer padrões, encontrar tendências, prever futuros cenários ou descobrir a origem de um problema.

Dentro do mundo dos negócios e mais especificamente no departamento de RH, permite que a empresa conheça e mapeie o comportamento do funcionário, entendendo o que aumenta a sua produtividade e pode melhorar o seu desempenho. Consequentemente, traçar esse perfil auxilia na hora de fazer novas contratações.

Qual a importância da análise de dados para a empresa?

Para que as estratégias sejam bem direcionadas e os processos de tomada de decisão sejam efetivos, é necessário entender o cenário em que o negócio está atuando. A análise de dados faz parte desse entendimento e sugere indicativos seguros para definir os caminhos que a empresa deve seguir.

Conheça alguns motivos que tornam a análise de dados uma atividade estratégica de extrema importância nessa jornada:

Reconhecer o mercado

Para que a empresa tenha um posicionamento correto e produtivo diante do mercado de trabalho, é imprescindível conhecer o cenário em que está inserida. Concorrência, clientela, fornecedores, colaboradores e parceiros em potencial devem ser estudados e entendidos.

Analisar o mercado, nesse sentido, é colher as informações do ambiente interno e externo, de modo a capturar as características do próprio negócio e do segmento, identificando as oportunidades e ameaças presentes.

Assim, é possível prever as melhores estratégias para alcançar os objetivos e evitar situações que possam gerar prejuízos aos cofres ou à imagem da empresa.

Conhecer o cliente

Ao lado dos colaboradores, que fazem o negócio girar, são os clientes que dão vida e continuidade às atividades da empresa. Conhecer o perfil desses compradores, quais as suas necessidades, desejos e vontades é ideal para que sejam criados os melhores produtos e serviços.

É preciso ter conhecimento para ler as pistas deixadas por esses indivíduos e a tecnologia veio para somar nesse sentido. A maioria deles está conectada e as redes sociais são ótimas fontes de informação na hora de montar o perfil ideal para compra.

Os acessos a um blog corporativo, comentários nas plataformas de relacionamentos, cliques gerados ou simples visualizações servem para demonstrar em quais assuntos estão os seus interesses.

Esses são dados valiosos e o padrão apresentado deve ser utilizado na criação de estratégias para divulgação e venda dos produtos e serviços da empresa. Quando baseadas em dados confiáveis, a tendência é que superem as expectativas.

Abrir vantagem competitiva

Ter clareza sobre seu lugar no mercado e a respeito do que o cliente espera é sinônimo de inovação e alinhamento às expectativas. Quando a entrega vai além do esperado, mas, ainda sim, dentro das expectativas, a marca abre uma vantagem à frente da concorrência e diferencia-se no mercado.

Agindo assim, a tendência é que a empresa ocupe um espaço no segmento que ainda não tem dono, ou que garanta um caráter único e que a diferencie diante das outras empresas.

Simultaneamente, a análise de dados promove ferramentas que possibilitam prever as movimentações do mercado, protegendo o negócio de riscos em potencial e agindo rapidamente a cada mudança.

Incrementar os resultados

Por fim, quando a análise de dados possibilita um diagnóstico completo da atualidade, é possível elaborar estratégias que diminuam os custos e aumentem os resultados.

Os desperdícios de tempo e recursos ficam cada vez menos frequentes e o negócio adquire a capacidade de resiliência, reposicionando-se conforme a necessidade e possibilitando os ganhos mesmo que tudo indique um período de escassez.

Quais as métricas que devem ser utilizadas?

Para que os dados possam ser analisados, é preciso que sejam colhidos por meio das métricas de avaliação. Veja agora alguns exemplos que podem ser utilizados em diferentes setores de uma empresa:

Tecnologia da Informação

O setor de TI vem se tornando cada vez mais estratégico. Ele deixa de ser um departamento que cuida exclusivamente dos sistemas para integrar outras áreas, como marketing e recursos humanos, na busca de soluções efetivas para as empresas.

Nesse contexto, um dos KPIs que devem ser avaliados é justamente o de integração. O objetivo é analisar a produtividade e medir a participação da equipe de TI nos procedimentos de sucesso.

Sendo assim, a empresa deve fazer uma medição no tempo utilizado para realizar as tarefas sem os recursos fornecidos pela tecnologia, e após a integração entre os setores.

Recursos Humanos

Uma das principais métricas do RH é medir os índices de turnover, que comparam o número de rescisões involuntárias e voluntárias em relação à quantidade de funcionários contratados em um mesmo período de tempo.

Esse é um KPI fundamental para expor a satisfação dos funcionários com a companhia. Se essa porcentagem for muito elevada, já passou da hora de descobrir o que a empresa está fazendo para espantar os colaboradores.

Marketing

O marketing é uma área muito rica em indicadores. Apresenta métricas de estratégias tradicionais, campanhas off-line e de marketing digital, muitas delas disponibilizadas pelas próprias plataformas em que a empresa costuma anunciar.

É possível descobrir o retorno em relação ao investimento da campanha, o ticket médio de compra em lojas virtuais, quanto cada artigo publicado é convertido em cadastros ou vendas, a quantidade de vendas geradas em cada campanha, entre outros dados.

Financeiro

Indicadores de desempenho e a análise de dados colhidos sobre as finanças da empresa são as avaliações mais comuns realizadas pelas organizações. Afinal, todo gestor está interessado em lucratividade.

Balanço patrimonial, indicativo de fluxo de caixa e mensuração do lucro em relação ao patrimônio podem ser citados como os mais usuais.

Logística

A logística também é uma área que deve ser avaliada com precisão, para que os problemas possam ser facilmente contornados, e os serviços, aprimorados.

Aqui, é possível analisar desde os processos mais básicos, como o tempo que o caminhão leva para sair da empresa até entregar o produto nas mãos do comprador, até os mais complexos, como nível de estoque.

Seja qual for a métrica escolhida, as informações coletadas serão precisas e proporcionarão uma análise de dados que realmente será efetiva na busca por um posicionamento adequado perante o mercado e, consequentemente, atingindo melhores resultados.

Continue se informando a respeito da análise de dados. Leia nosso artigo sobre o Data Science. Até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *