equipe conversando sobre a diversidade nas organizações

Diversidade nas organizações e o papel do RH

Spread the love

Nos últimos tempos, a diversidade nas organizações tem se tornado um assunto recorrente no mercado de trabalho. Enquanto as empresas buscam se ampliar diante dessa ideia, o setor de RH procura contribuir para a sua integração e implantação.

Antes de mais nada, vale explicar que a diversidade engloba a percepção das diferenças entre as pessoas, incluindo aspectos físicos, culturais, biológicos, sociais, econômicos, ideológicos, entre outros.

Cada um deles tem sua importância e deve ser respeitado, inclusive no ramo profissional. Quer saber mais sobre a relação entre diversidade, organizações e recursos humanos? Então não perca tempo e continue a leitura!

O que significa a diversidade no ambiente de trabalho?

A diversidade nas organizações pode ser relacionada ao seu conceito universal: ela está na natureza por meio de variadas espécies, elementos e nas sociedades em que cada uma experimenta de sua cultura própria e seus valores. Essas diferenças são responsáveis por tornar o mundo um lugar rico e encantador.

No mundo corporativo, essas particularidades entre os indivíduos colaboram para a construção de um bom ambiente de trabalho e são apontadas como elementos que proporcionam soluções criativas para as mais diversas situações.

Organização McKinsey & Company, que investe em pesquisas para assessorar empresas no mundo todo sobre questões organizacionais, afirma que:

  • nas empresas em que a diversidade étnica e racial é presente, as chances de se ter rendimentos acima da média no setor é de 35%;
  • nas empresas com diversidade de gênero, esse número é de 15%;
  • nos Estados Unidos, verificou-se que a cada 10% de aumento na diversidade racial ou étnica na equipe, o crescimento nos lucros é de 0,8%.

Apostar na diversidade é um grande diferencial para alcançar bons resultados. Parte disso se deve as experiências de vida de cada colaborador. As dificuldades enfrentadas, a maneira na qual a pessoa foi criada e a sua própria história são elementos que causam impacto nas relações profissionais e interpessoais.

O que diz a lei

Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991, popularmente conhecida como a Lei de Cotas, determina que todas as empresas que têm um quadro de profissionais composto por mais de 100 colaboradores contratem de 2 a 5% de pessoas com deficiência física ou mental.

Entretanto, uma organização preocupada em trabalhar os conceitos da diversidade e se beneficiar com as ideias inovadoras que uma equipe com experiências distintas podem revelar, não devem esquecer de outros perfis que se encaixam nesse contexto:

  • idosos;
  • negros;
  • mulheres;
  • refugiados;
  • pessoas em situação de vulnerabilidade social;
  • ex-presidiários;
  • homossexuais;
  • transexuais.

Vale lembrar que para esses outros perfis não existe nenhuma lei que obrigue as organizações a realizar contratações. No entanto, quem está disposto a se comprometer com as questões relacionadas a igualdade social deve garantir um espaço para essas pessoas no mercado de trabalho.

Tudo que você precisa saber para humanizar o RH da empresaPowered by Rock Convert

Qual é a importância da diversidade nas organizações?

Felizmente, no momento atual tem se falado cada vez mais em respeitar e integrar a diversidade, sendo ela referente a qualquer fator.

Acontece que é muito importante que as empresas e organizações se incluam nessa linha de pensamento. Afinal, além de ser uma questão ética, ela também proporciona grandes benefícios para as corporações.

Você sabe o quanto pode ser positivo para uma organização apostar em diversidade? De modo geral, podemos dizer que essa questão traz contribuições para a lucratividade e o rendimento da empresa, além de ser considerado um forte diferencial competitivo.

Claro, não podemos esquecer também que incentivar a diversidade é um passo para reforçar o respeito entre as diferenças, favorecendo a tolerância, inclusive no ambiente de trabalho.

Como a diversidade pode estar presente e por que deve ocorrer?

Não basta apenas dizer que a empresa apoia a diversidade. É preciso que essa ideia realmente faça parte da sua cultura e seja demonstrada por meio de ações práticas.

Assim, é importante que o respeito e a integração sejam trabalhados por todos: tanto gestores quanto colaboradores. Além disso, é papel da organização ter práticas de desenvolvimento que abranjam as diferentes competências e habilidades, para que todos possam se incluir em seu funcionamento.

Quando a cultura organizacional se abre para a diversidade, muitos benefícios e avanços começam a ocorrer.

Como a diversidade contribui para o crescimento empresarial?

Até aqui, temos falado de forma geral sobre as contribuições da diversidade para as organizações. No entanto, é necessário aprofundar um pouco mais nesse assunto. Afinal, é preciso compreender como esse fator pode beneficiar a criatividade, a inovação e o crescimento da empresa.

Dentre os resultados de pesquisas realizadas nessa área, destaca-se a constatação de que colaboradores se sentem mais engajados em organizações que respeitam e incluem as diferenças. Isso faz com que eles se sintam dispostos e se dediquem mais ao trabalho.

Além disso, a existência de conflitos nessas empresas é reduzida de forma considerável. O convívio com pessoas de diferentes características pode acrescentar muito na experiência profissional e pessoal, funcionando como uma extensão de conhecimento. Quando o trabalho está inserido em um ambiente que aceita a diversidade, é natural que o colaborador se sinta mais à vontade, até mesmo para aprender e arriscar mais.

Ademais, é possível obter outros benefícios, como rendimentos acima da média e aumento da lucratividade nas organizações.

Em vista disso, inúmeras empresas vêm investindo nessa ideia, inclusive algumas grandes marcas, como a Mastercard, a Sodexo, a P&G e a Johnson & Johnson. Para isso, elas oferecem treinamentos na área de diversidade e inclusão, além de determinarem metas voltadas para esse segmento.

Qual é o papel do RH na integração da diversidade?

O departamento de Recursos Humanos pode atuar de diferentes maneiras para integrar a diversidade em uma organização. Na verdade, essa cultura já começa na construção do quadro funcional da empresa, e é preciso implantá-la desde o processo de recrutamento e seleção.

Muitos processos seletivos, no entanto, ainda buscam manter um determinado padrão, analisando fatores como a religião, a etnia e a orientação sexual dos candidatos. É preciso, então, romper com esse tipo de seletividade e ampliar as vagas para pessoas de diferentes características.

As diferenças devem ser trabalhadas por todos na empresa, e o RH pode ajudar a fazer essa intervenção. Também é necessário promover a comunicação e o diálogo, para que hajam trocas de saberes e integração.

É interessante que os gestores estejam dispostos a ouvir os colaboradores, permitindo opiniões e aceitando sugestões de melhoria. Além disso, a comunicação entre os colegas e o trabalho em equipe também devem ser estimulados.

Assim, o RH pode ajudar a conciliar o convívio e a promover o respeito e a aceitação. Sua atuação ocorre desde a contratação até a retenção de funcionários e os processos internos, como treinamentos e atividades do dia a dia. A seguir, confira algumas dicas práticas.

Recrute em uma área mais ampla

Ampliar as áreas de divulgação, quando for necessário realizar um processo de recrutamento, ajuda a atrair um público mais diversificado. Essa ampliação pode ser feita de diferentes maneiras, como utilizando sites ou divulgando em uma área geográfica maior, por exemplo.

Ofereça treinamento em diversidade

Os treinamentos contribuem para que os colaboradores, e até mesmo os gestores, percebam o quanto pode ser positivo ter perfis diversificados na empresa. Isso ajuda a tornar o ambiente mais acolhedor.

Incentive a diversidade em todos os níveis

Não basta promover apenas processos de recrutamento e seleção mais diversificados. É preciso que essa ideia esteja presente em todas os níveis: desde os básicos até os superiores.

Para integrar a diversidade, cada empresa deve ser autêntica. Não adianta apenas ir atrás de números: é necessário levar em conta a sua forma de tratar as pessoas e, assim, buscar a melhor maneira de promover respeito e aceitação naquele ambiente.

Nesse sentido, o setor de Recursos Humanos tem um papel de extrema importância. Afinal, ele pode ajudar as pessoas envolvidas a se adaptarem a essa ideia, ao mesmo tempo em que atua com a inserção da mesma na cultura da empresa.

Um aspecto que não pode ser ignorado são os desafios nos quais é preciso lidar ao realizar essa integração, já que, infelizmente, ainda encontramos preconceitos e padrões engessados. Porém, esse quadro é reversível e basta dedicação para mudá-lo.

Dessa forma, é essencial ampliar a ética, respeito e também os conhecimentos para que seja possível fazer as orientações necessárias para favorecer o rendimento.

Quais os benefícios em adotar a cultura de igualdade?

Durante todo o texto, você pôde encontrar algumas referências a respeito dos benefícios em adotar uma cultura de igualdade dentro da empresa.

Separamos uma pequena lista para que você veja com mais detalhes quais as vantagens da diversidade nas organizações. Acompanhe!

Alcance de melhores resultados

Não dá para negar que a diversidade nas organizações contribui diretamente para que a equipe alcance resultados positivos. Ao adotar uma política de igualdade, a tendência é que o ambiente de trabalho se torne mais cooperativo, estimulante e acolhedor.

O resultado é uma equipe de colaboradores motivada e engajada na realização das suas atividades e uma melhoria significativa na qualidade de vida — fator importante para que todos trabalhem melhor, produzindo mais e de maneira eficiente.

Redução dos conflitos

Gerenciar conflitos internos é uma importante tarefa do RH e colabora para a manutenção de um clima saudável. Isso porque nas organizações em que há uma cultura de respeito a diversidade, os conflitos tendem a ser bem menos recorrentes.

Ao implementar uma política que estimule o respeito entre as diferenças, é comum que as equipes fiquem mais tolerantes, lidando melhor com as distinções entre os indivíduos.

Cria-se, então, um ambiente em que opiniões divergentes são vistas como estímulo para cooperação e bom senso, e passem longe de desentendimentos e outros atritos.

Segurança no ambiente de trabalho

Colaboradores que se sentem acolhidos em um ambiente de trabalho, dificilmente vão sentir a necessidade de buscar por um local mais agradável.

Aqui, não podemos nos esquecer das questões de segurança: o Brasil infelizmente ocupa as primeiras posições quando o assunto é o ranking da insegurança, ficando em 7º lugar.

Atlas da violência também é assustador. De acordo com o IPEA, em 2016, 4.645 mulheres negras foram assassinadas, contra 1.488 não negras. O órgão ainda publicou, no Atlas de 2018 que:

[…]a mulher que se torna uma vítima fatal muitas vezes já foi vítima de uma série de outras violências de gênero, por exemplo: violência psicológica, patrimonial, física ou sexual. Ou seja, muitas mortes poderiam ser evitadas, impedindo o desfecho fatal, caso as mulheres tivessem tido opções concretas e apoio para conseguir sair de um ciclo de violência.

O cenário fica ainda mais grave ao se tratar de homens: 13.354 não negros foram assassinados no Brasil. Quando se trata da população de homens negros, o número vai para 42.354. O órgão afirma:

Uma das principais facetas da desigualdade racial no Brasil é a forte concentração de homicídios na população negra. Quando calculadas dentro de grupos populacionais de negros (pretos e pardos) e não negros (brancos, amarelos e indígenas), as taxas de homicídio revelam a magnitude da desigualdade. É como se, em relação à violência letal, negros e não negros vivessem em países completamente distintos.

Muitas vezes, a exclusão passa despercebida pelos gestores.Colaboradores que abandonam seus postos de trabalho, por não suportarem uma segregação nítida entre os colegas, dificilmente revelam que esse é o real motivo do pedido de desligamento.

Esse é um processo bastante delicado. Dessa forma, as entrevistas quando a demissão é solicitada podem ser uma boa opção para que a empresa esteja ciente desses problemas. Entretanto, ainda assim o melhor remédio é a prevenção.

Aumento da criatividade no ambiente

Pontuamos, durante esse artigo, como a diversidade pode ser fundamental para a composição de uma equipe mais criativa.

Quando os colaboradores têm mais liberdade para exporem suas origens e cultura em suas atividades, trazem mais autenticidade, originalidade e genuinidade nas produções.

Um ambiente diversificado contribui para que novas ideias circulem livremente entre os membros de um determinado departamento, proporcionando engajamento e criatividade aos projetos.

Melhoria da imagem da empresa

Cumprir com o papel social sempre traz benefícios para a imagem de uma organização. Respeitar e estimular a diversidade é fazer exatamente isso: assumir uma postura responsável perante a sociedade.

Quando os colaboradores convivem e aprendem sobre a multiplicidade presente no negócio, a tendência é que difundam esses conceitos no meio em que vivem, fora do ambiente de trabalho. Ao levar essa ideia para outros espaços, reproduzem comportamentos de tolerância e assumem um papel de exemplo positivo diante de outras pessoas.

Integrar a diversidade nas organizações significa criar um local de trabalho que sirva para todos os colaboradores e que estimule a convivência entre diferentes perfis pessoais e profissionais.

Que tal compartilhar conosco suas experiências a respeito da diversidade no ambiente de trabalho? Deixe o seu comentário!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.