Confira 10 tendências em gestão de pessoas para a sua empresa em 2019

Tempo de leitura: 6 minutos

O ano de 2019 já está chegando e, com ele, vêm as novas tendências para o mundo corporativo, incluindo as tendências em gestão de pessoas.

Estamos em uma época com significativo surgimento de novas ideias, propostas e alternativas que visam contribuir para o desenvolvimento e a otimização do trabalho nas empresas. Basta identificar as que mais se adequam a cada organização.

Pensando nisso, decidimos antecipar algumas das tendências para o próximo ano, para que você possa se informar, se manter atualizado sobre elas e encontrar as que mais combinam com o seu negócio. Quer saber mais? Então continue a leitura!

1. Mobilidade no trabalho

Os padrões e modelos de trabalho estão cada vez mais flexíveis, tornando mais comum que a prática do trabalho ocorra de outros lugares, quando isso é possível. É o chamado home-office.

Essa é uma opção que pode ajudar na redução de alguns custos na empresa, além de permitir a contratação de colaboradores que estejam mais distantes geograficamente. No entanto, a gestão de pessoas precisa tomar alguns cuidados, como revisar o controle das horas trabalhadas e do rendimento obtido.

2. Desenvolvimento de soft skills

Esse termo se refere, basicamente, a habilidades ligadas à relação e à interação com outras pessoas. Assim, o desenvolvimento de soft skills se refere à ideia de trabalhar e desenvolver questões como a empatia, a colaboração e a resiliência nas organizações.

Essa ideia busca desenvolver competências de trabalhadores visando o futuro da empresa. Afinal, a comunicação e o clima organizacional são fatores de significativa importância para a sua manutenção. Vale lembrar, assim, que é positivo trabalhar esses pontos também na liderança e na gestão, contribuindo para interações e relações de qualidade na corporação como um todo.

3. Gamificação no treinamento

Gamification — ou gamificação — é o termo que corresponde à utilização de conceitos ou práticas oriundos do mundo dos jogos dentro das organizações. No caso dos treinamentos, a ideia é empregar essa tendência para contribuir no desenvolvimento de competências e habilidades, ou mesmo para fortalecer pontos necessários.

Para isso, é preciso definir previamente os fatores a serem trabalhados, para então traçar um plano de como a gamificação será utilizada. É importante ressaltar que não se trata apenas da implementação de quaisquer práticas de jogos: trata-se de um procedimento técnico que precisa ser adequadamente aplicado.

4. Automação de processos

A gestão de pessoas pode recorrer a diferentes ferramentas que contribuam para a otimização do seu trabalho. Existem, por exemplo, recursos tecnológicos que ajudam na interpretação e no registro de dados, com o objetivo de facilitar certos processos.

A tecnologia pode favorecer de forma variada aos gestores, desde que utilizada adequadamente. Existem processos, como algumas etapas do recrutamento e seleção, em que contar apenas com a automação não é tão funcional. Além disso, é preciso preparar a equipe e, se for necessário, capacitá-la para a implementação desses recursos.

A ideia não é que ninguém perca seu espaço na organização, mas sim tenha seu trabalho favorecido.

5. Foco em equipes

Outra tendência é o foco estar cada vez mais nas equipes, e não nas pessoas separadamente. A ideia aqui é favorecer uma visão horizontal dos times, sem avaliações baseadas em julgamentos ou críticas baseadas em um determinado colaborador.

Nesse caso, a gestão de pessoas precisará fazer algumas adaptações em fatores como os feedbacks, por exemplo. Estes devem ser realizados de maneira aberta, a não ser quando se tratar de informações mais críticas, pessoais ou que possam comprometer ou constranger um indivíduo. Também é importante escutar as equipes da mesma forma.

6. Carreira em “w”

Até pouco tempo atrás, as únicas formas de crescer dentro da empresa era seguir um caminho vertical ou desenvolver uma carreira em Y, na qual o profissional chega em um ponto onde precisa escolher entre o trabalho na gestão e o trabalho técnico. Atualmente, porém, vem se tornando cada vez mais comum uma nova modalidade: o plano de carreira em W, no qual um colaborador cresce se tornando um líder-técnico.

A escolha pela utilização desse modelo deve estar de acordo com o perfil e o trabalho desenvolvido pela organização, já que sua funcionalidade varia de acordo com essas características. No entanto, quando aplicado adequadamente, ele pode trazer benefícios como a ampliação da visão sistêmica sobre a organização.

7. Computação nas nuvens

Com o desenvolvimento da tecnologia, esse recurso já vem sendo empregado em diversos contextos, com diferentes objetivos. Trata-se de um armazenamento de dados virtual, de modo que os registros não fiquem salvos apenas em um único aparelho, mas sim em uma “nuvem”, na rede.

Dessa forma, é possível acessá-los e recuperá-los de outros dispositivos, mesmo que ocorram problemas na máquina em que foram produzidos.

Trata-se de uma medida que visa a segurança. Dessa forma, o serviço também conta com suas proteções para os armazenamentos, como a utilização de senhas e cadastros.

8. Gamificação para gerar mais engajamento

Nesse caso, os conceitos do mundo dos jogos serão utilizados para incentivar o alcance de um objetivo. Assim, a ideia é transformar processos simples em atividades interessantes e divertidas, utilizando jogos que façam sentido e contribuam para cada situação.

Nessa tendência, costumam estar envolvidos o uso de recompensas, a colaboração entre equipes e os feedbacks, com a finalidade de motivar os trabalhadores. Vale lembrar que, assim como no caso dos treinamentos, é importante levar em conta o perfil e as necessidades da organização e de seus funcionários na implementação desse tipo de prática.

Pode ser uma boa ideia contratar uma empresa especializada em gamificação para ajudar nesse processo e fazer testes com pequenos grupos, antes de expandir as técnicas para toda a companhia.

9. Inteligência Artificial

A inteligência artificial corresponde tanto à maquinas que aprendem com seus próprios erros quanto a respostas automáticas que podem ser utilizadas em alguns momentos, como para responder clientes quando o gestor ou o colaborador não está disponível.

Essa é outra ideia advinda dos avanços tecnológicos, contribuindo para as empresas da mesma forma que a automação de processos ou o armazenamento nas nuvens. Assim, é preciso ter certa atenção para implementá-la adequadamente e não prejudicar ou assustar nenhum colaborador ou equipe.

É preciso lembrar que essas mudanças tecnológicas ainda são, muitas vezes, uma grande novidade, podendo gerar certa estranheza, apesar de suas contribuições. Por isso, é necessário ter paciência em sua implementação.

10. People Analytics

O People Analytics é um sistema de métricas em gestão de pessoas, cujo objetivo é analisar diferentes indicadores e, assim, levar à percepção de fatores de investimento. A ideia desse processo é contribuir para a agilidade e a assertividade das tomadas de decisão, gerando análises precisas.

Essas foram algumas ideias que estão ganhando destaque para 2019. Se você gostou de alguma delas, não deixe de continuar aprofundando seus conhecimentos!

O que você achou das tendências em gestão de pessoas para o próximo ano? Informe-se ainda mais sobre gestão acessando nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *