Gestão de Pessoas x Recursos Humanos: Entenda a diferença

Tempo de leitura: 7 minutos

Muito se fala, hoje em dia, sobre Gestão de Pessoas mas é muito comum a confusão que as pessoas fazem achando que Gestão de Pessoas e Recursos Humanos são a mesma coisa.

Recursos Humanos é um departamento existente na maioria das empresas e que tem uma função estratégica. Ele possui a função de staff, apoiando e dando suporte a outros setores da empresa.

A primeira coisa que vem à mente quando falamos em Gestão de Pessoas é o Departamento de Recursos Humanos fazendo recrutamento e seleção, criando planos de carreira e aplicando avaliações de desempenho.  Gestão de Pessoas vai além.  E se engana quem acha que essa gestão é responsabilidade apenas desse setor.

Afinal, qual a diferença entre o RH e a Gestão de Pessoas?  Vamos entender.

O setor de Recursos Humanos surgiu na virada do milênio quando as empresas passaram a entender a necessidade de valorizar o capital humano, de forma a conquistar e reter talentos, afinal, o maior diferencial competitivo de uma empresa está no potencial de seus profissionais.

O então Departamento Pessoal se subdividiu, ficando com a responsabilidade sobre questões trabalhistas e o RH, por sua vez, com o que se refere ao desenvolvimento de pessoas.

Porém, gerir pessoas é mais do que apenas oferecer treinamentos ou pensar numa estrutura de cargos e salários.

A Gestão de Pessoas deve ser vista como um valor da empresa, estar enraizada em sua cultura. Gestão é administração, então esse trabalho é uma missão dos gestores!

O departamento de RH tem a importante função de nortear e dar subsídios aos líderes para atuarem na gestão de seu pessoal e focar sua atuação mais no lado prático, como a oferta de benefícios ao colaborador, por exemplo. A Gestão de Pessoas trabalha o lado humano do colaborador.

Seu foco está em indicadores de desempenho e visa não só o crescimento pessoal do colaborador, mas também a contribuição de cada uma para a empresa. Ela tem a grande missão de humanizar a organização.

O ser humano é único e possui características próprias, então, é de suma importância que suas competências sejam trabalhadas individualmente e desenvolvidas através de treinamentos alinhados de acordo com a estratégia das organizações, sempre baseados em suas premissas e em conformidade com seus valores e princípios.  

Mas devemos entender que gerir pessoas não é apenas uma ação para deixar os colaboradores satisfeitos e motivados. É muito mais que isso!

Fazer a Gestão de Pessoas é elaborar estratégias que envolvam toda a estrutura empresarial em busca do desenvolvimento, capacitação e humanização de quem faz parte dela.

Sendo assim, podemos dizer que Gestão de Pessoas é o conjunto de estratégias utilizadas por organizações para desenvolver seu capital humano, amparada pelas ferramentas que o Departamento de RH oferece: a captação dos melhores profissionais, o investimento em seu desenvolvimento, a retenção e a motivação para desempenhar suas funções.

Não é de hoje que sabemos que um funcionário motivado produz mais e traz melhores resultados às empresas. Porém, é preciso mais do que motivar colaboradores e satisfazer desejos da equipe.

Os 5 pilares fundamentais para o sucesso

A Gestão de Pessoas tem o seu apoio em 5 pilares fundamentais para o sucesso, sem os quais não existiria uma boa gestão dos recursos humanos:

1 – Motivação

Alcançar um objetivo depende do empenho de cada um dos colaboradores de uma organização. Um colaborador desmotivado não estará empenhado e, consequentemente, afetará toda a equipe. Então, motivação é um ponto crucial para um bom trabalho de gestão. E é dele que surgem os outros 4 pilares.

Motivar um funcionário, apesar de ser algo tão importante, não é uma das tarefas mais difíceis.  É fundamental entender o que motiva cada profissional a fazer parte da organização.  Incentivos financeiros? Propósito da empresa? Plano de Carreira?  É muito eficaz elaborar alguns métodos de reconhecimento ou gratificação, como os aumentos no salário, participação nos lucros ou até uma oportunidade de crescimento dentro da empresa.

Cada membro da equipe vai apresentar um tipo de relação com os recursos motivadores. A obrigação do gestor é entender como cada um funciona e qual dos estímulos resultará em melhores efeitos para o funcionário.

2 –  Comunicação

A comunicação é de suma importância para que sua equipe se integre e esteja sempre motivada! A informação precisa estar disponível, a todos os membros da organização, sempre que for necessário.

Um bom processo de comunicação exige que você tenha prontidão em responder questionamentos, dúvidas e até reclamações. O que não pode acontecer é perder tempo!

O tempo que se perde com uma informação circulando, às vezes sem retorno e sem que atinja os interlocutores necessários, pode fazer com que a empresa perca dinheiro. A prática da comunicação instantânea agiliza os processos!

O ideal é o estabelecimento de um método de comunicação imediata, em que cada colaborador conheça a melhor maneira de se comunicar com o outro.

3 – Trabalho em Equipe

Os colaboradores precisam se sentir parte do objetivo final da organização. É necessário que algo o ligue ao resultado de um projeto e, isso, só acontece se houver trabalho em equipe.

Os líderes devem incentivar a integração não somente entre membros do mesmo setor, mas também entre setores e cargos.

Uma boa ferramenta para integração do serviço é um software de acompanhamento de tarefas para que todos acompanhem o andamento dos projetos. Reuniões de acompanhamento também são importantes.

4 –  Conhecimento e Competência

Cada colaborador da organização deve possuir excelência na realização de sua função. Jamais serão atingidos os resultados esperados se os funcionários não possuírem conhecimento e competência para o desenvolvimento do negócio.

E essa análise começa lá no processo seletivo, onde os mais capacitados são selecionados. São eles que ajudarão na construção de valores e de uma cultura motivacional forte.

Faz parte das atribuições da Gestão de Pessoas realizar avaliações de desempenho baseadas no conhecimento dessas competências, identificando os pontos fortes e os de melhoria em cada colaborador. O feedback apresentado é um norteador para o desenvolvimento do profissional que pode ser estimulado com incentivos, capacitações e treinamentos.

5 – Treinamento e Desenvolvimento

O mercado está em constante mudança. E para reter os talentos que possuem, as empresas precisam investir cada vez mais no treinamento e desenvolvimento desses colaboradores. Através de uma simples pesquisa, identifica-se que pontos precisam ser desenvolvidos.

Dessa forma, colaboradores passarão a entender que a empresa realiza uma gestão eficiente em suas carreiras, que são valorizados e incentivados a crescer.

E o mais importante é que esses treinamentos não sejam em vão. Que eles possam ser aplicados, ajudando não só o profissional mas, também, a organização.

Voltando à discussão anterior, depois de entender o que é, realmente, o ato de gerir pessoas, podemos dizer que Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, são duas coisas diferentes, mas totalmente complementares. Os dois lidam com os colaboradores de formas diferentes mas a fim de atingirem os mesmos objetivos. Um de forma mais estratégica, outro de forma mais humana.

Se toda empresa tiver a oportunidade de motivar e desenvolver seu pessoal, pode ter certeza de que criará um ambiente de trabalho mais eficaz e eficiente.

Antes de ler o post, você também não sabia a diferença entre Gestão de Pessoas e Recursos Humanos? Então compartilhe e leve esse conhecimento a outras pessoas!

Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *