Indústria 4.0 e o RH: o que muda e o que permanece nessa relação?

Spread the love

Se você acompanha as tendências do meio empresarial, é bem provável que já tenha ouvido falar em indústria 4.0, não é mesmo? Mas, o que esse conceito realmente retrata? Falando especificamente sobre o RH, quais serão os impactos trazidos por essa nova realidade de trabalho?

Foi pensando em esclarecer todas essas questões que desenvolvemos este post, abordando de forma ampla a relação entre a indústria 4.0 e o setor de Recursos Humanos das empresas. Continue a leitura e tire as suas dúvidas sobre o assunto agora mesmo!

O que é a indústria 4.0?

O termo indústria 4.0 foi utilizado pela primeira vez em 2011, com origem nas estratégias voltadas para a tecnologia utilizadas pelo governo da Alemanha. O princípio básico que ele representa é o uso de máquinas e sistemas inteligentes conectados, que podem criar uma força de trabalho autônoma sem que ocorram falhas nos processos.

A indústria 4.0 recebe esse nome pelo fato de o fenômeno caracterizar a chamada Quarta Revolução Industrial. Na história da humanidade, até então, a indústria já havia passado por três grandes revoluções.

Se formos traçar uma linha do tempo dos processos industriais, portanto, teríamos um esquema com as seguintes informações: 

  • Primeira Revolução Industrial (1780): houve o aprimoramento das máquinas movidas a vapor e a criação de novos equipamentos mecânicos;
  • Segunda Revolução Industrial (1870): com o surgimento da energia elétrica, novas fontes de energia — como a eletricidade e os combustíveis derivados do petróleo — começaram a ser utilizadas nos processos industriais;
  • Terceira Revolução Industrial (1970): a eletrônica e a robótica surgiram e foram implementadas nos serviços de manufatura;
  • Quarta Revolução Industrial (atualidade): utiliza recursos da inteligência artificial nos processos produtivos, que são cada vez mais descentralizados.

Quais características da indústria 4.0 trazem impactos para o RH?

Falando especificamente da área de RH, temos algumas características únicas da indústria 4.0 que podem trazer benefícios para o setor. Veja, a seguir, as principais. 

Diminuição da burocracia

A burocracia sempre foi algo muito presente no setor de Recursos Humanos. Para calcular as horas trabalhadas pelos colaboradores e elaborar as folhas de pagamento, por exemplo, era preciso dispor de bastante tempo. Atualmente, com o uso de relógios-ponto conectados aos sistemas de gestão, isso é feito de forma automática, descartando a necessidade dos profissionais da área em perder boa parte do mês apenas fazendo cálculos.

O mesmo vale para os processos de recrutamento e seleção. Antigamente, era comum que dias fossem levados para selecionar os currículos dos candidatos a uma vaga. Hoje, por meio de sistemas inteligentes, é possível fazer uma varredura de características específicas no banco de talentos da empresa, sem ter que dispor de muito tempo para tal.

Fluxo de trabalho bem definido

Na indústria 4.0, os fluxos de trabalho são bem definidos, uma vez que são delegados para softwares de gestão e ferramentas. Os colaboradores do setor de RH, dentro desse contexto, passam a ter foco estratégico em atividades específicas, já que não é mais preciso investir tanto tempo em tarefas burocráticas e rotineiras.

Entre as principais áreas que um setor de RH precisa se especializar, nos dias de hoje, estão as seguintes:

  • promoção de benefícios aos colaboradores;
  • recrutamento e seleção de funcionários por meio de técnicas como a gamificação;
  • sistemas internos de avaliação;
  • atração de profissionais qualificados;
  • retenção de talentos e diminuição do turnover na organização;
  • treinamentos de funcionários;
  • adoção do design thinking na empresa;
  • aplicação de táticas para melhorar o clima organizacional.

Automatização de tarefas

Como explicamos, as tarefas burocráticas tendem a ser automatizadas na indústria 4.0. Até mesmo o atendimento às demandas dos colaboradores pode feito por meio de recursos tecnológicos.

Para você ter uma ideia, o uso de chatbots em canais de comunicação interna já é uma realidade. Assim, um sistema de inteligência artificial pode responder às questões que os colaboradores têm sobre os processos produtivos da empresa, formas de pagamento, entre outras.

Flexibilidade nas relações trabalhistas

As relações trabalhistas se tornam mais flexíveis na indústria 4.0. Muitas das atividades já não precisam ser feitas necessariamente na sede da empresa — o que tem popularizado o uso de coworkings e o trabalho remoto. Prova de que isso já é uma realidade é que, na recente reforma trabalhista sancionada pelo ex-presidente Michel Temer, o home office é regulamentado no Brasil. 

O trabalho intermitente também está regulamentando na nova legislação. Nessa modalidade, o trabalhador não se dedica somente a uma organização, podendo ser contratado por períodos. Aos profissionais de RH, cabe fazer a intermediação entre a empresa e os colaboradores, mesmo que a distância.

Como as mudanças da indústria 4.0 impactam o setor de RH?

A indústria 4.0 fez e ainda fará com que muitas profissões simplesmente deixem de existir. Para visualizar esse cenário, basta imaginar um banco há 10 anos, por exemplo.

É bem provável que as agências bancárias que você frequentava tinham uma grande quantidade de pessoas trabalhando para atender aos clientes. Atualmente, com a popularização dos caixas eletrônicos e dos serviços de home banking, não é mais necessário ter tantos bancários no local, já que boa parte dos serviços é feita online. 

Dentro desse contexto, cabe ao RH saber como proceder, reestruturando os times e promovendo novas atividades que podem ser realizadas pelos profissionais. É preciso fazer com que todos os colaboradores percebam que as tecnologias não vão substituir a força de trabalho do ser humano, mas, sim, otimizá-la e aperfeiçoá-la.

A escritora Martha Gabriel tem uma frase que diz: “Para não ser substituído por um robô, não seja um robô”. É esse o espírito que o setor de RH e todas as áreas da empresa precisam ter na Quarta Revolução Industrial.

Robôs são excelentes para realizar atividades burocráticas, mas eles não pensam sozinhos e precisam ser programados por seres humanos. Por isso, a tendência é que, na indústria 4.0, os profissionais necessitem ser cada vez mais estratégicos e menos operacionais.

Quando falamos em tecnologia na área de RH, o Big Data é sempre uma das mais lembradas. Saiba mais em nosso post que fala sobre os impactos que ele traz para as organizações!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

2 Comentários

    Vinícius, obrigado pelo envio do link via e-mail.
    Parabéns pelo artigo!
    Forte abraço!
    Marcelo Queiroz

    Parabéns pela iniciativa.
    Em relação ao Fluxo de trabalho bem definido é de suma importância no dia-a-dia evitando assim possíveis retrabalhos.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.