Gestão do conhecimento: um guia sobre o assunto!

Tempo de leitura: 18 minutos

Investir na educação dos colaboradores é algo que não pode ser negligenciado pelas empresas. Afinal, o capital humano é o mais importante das empresas, pois sem os seus colaboradores capacitados, de nada adianta a organização ter muitos equipamentos tecnológicos, por exemplo.

É por isso que você precisa promover a gestão do conhecimento na sua empresa e, assim, garantir que os funcionários sejam sempre conhecedores das técnicas necessárias para a execução do seu trabalho.

Para que você saiba tudo sobre a gestão do conhecimento, desenvolvemos este post. Vamos explicar o que é a gestão do conhecimento, qual é a sua importância nas corporações, quais são os tipos de conhecimento, os benefícios que eles trazem para as empresas e como implementá-los. Acompanhe tudo isso, nos tópicos a seguir!

O que é gestão do conhecimento?

A gestão do conhecimento é um conceito bastante amplo e que abriga uma série de atividades a serem desenvolvidas no dia a dia das empresas. De forma resumida, podemos dizer que se trata da atividade de identificar e analisar os conhecimentos que os funcionários têm.

De tal modo, o primeiro passo a ser dado quando se deseja desenvolver a gestão do conhecimento nas organizações é identificar o perfil dos colaboradores e também o perfil de líder dos gerentes de equipes. A ideia é que se realize uma espécie de mapeamento de competências, para que se possam verificar quais são as disciplinas ou temáticas que precisam ser aprendidas pelos funcionários.

Feito esse mapeamento, é necessário que a empresa invista em treinamentos que para os seus colaboradores. Assuntos como a gestão comportamental, a criatividade no ambiente de trabalho, a gestão por competência, como desenvolver a concentração no trabalho, entre outros podem ser desenvolvidos.

Cabe ainda ressaltar que é preciso colher feedbacks após a realização desses treinamentos. A ideia é que se verifique se eles realmente trouxeram os resultados esperados pela empresa e se os funcionários absorveram os conhecimentos que se esperava.

Para fazer essa avaliação, podem ser aplicados testes ou provas ao final dos treinamentos in company. Assim, se terá a certeza de que os conhecimentos foram adquiridos. Em caso contrário, deve-se verificar o que ocorreu para que um funcionário não compreendesse o conteúdo e tomar medidas para que isso não mais aconteça.

Outra maneira de avaliar se a gestão do conhecimento está sendo bem desenvolvida pelas empresas é por meio dos indicadores de produtividade. Recomenda-se que os gestores façam avaliações constantes com os seus times, tendo um relatório completo do desempenho individual de cada colaborador e também da equipe como um todo.

Qual é a importância da gestão do conhecimento nas corporações?

A gestão do conhecimento é importante para as empresas porque pode ser vista como um diferencial competitivo. Ao desenvolver habilidades em seus colaboradores, a empresa terá uma pluralidade de pontos de vista e poderá planejar e executar ações de forma muito mais certeira para a obtenção de resultados positivos.

Uma empresa que investe em capital humano e incentiva o conhecimento entre os seus funcionários pode se colocar à frente dos concorrentes facilmente. Porém, para isso, deve ser feito um trabalho que é chamado de gestão de competências.

Conforme explicamos, deve ser realizado um mapeamento sobre as necessidades da organização. Cada empresa é única e pode ter objetivos exclusivos ao desenvolver um treinamento. Para que essas metas sejam cumpridas, no entanto, é preciso que se desenvolva um plano muito bem arquitetado.

Geralmente, é o setor de Recursos Humanos que fica responsável pela elaboração de treinamentos e é por isso que essas ações devem ser incluídas no planejamento estratégico de RH. Deve-se perceber que, em uma empresa, nem sempre o conhecimento necessário para um colaborador é necessário para o outro.

Imagine, por exemplo, uma indústria automobilística que tem uma linha de produção em que os operários precisam saber como lidar com as máquinas automatizadas. Para esses colaboradores, além de conhecimentos básicos sobre a manipulação dos equipamentos, talvez também seja interessante promover cursos sobre linguagem de programação.

Isso porque esses robôs empresariais são controlados por meio de códigos de programação específicos. Assim, se uma linha do código for alterada por qualquer motivo, ele não operará corretamente. Se o operário tiver conhecimento para corrigir esse problema, ele mesmo poderá solucionar as questões mais simples, sem ter que esperar o programador ou técnico de TI para isso.

Esse curso, porém, não terá nenhuma necessidade para o departamento contábil ou de marketing da empresa. Para essas áreas podem ser desenvolvidos outros tipos de treinamento, mais focados para a área de atuação de cada uma delas.

Em resumo, podemos dizer que a importância da gestão do conhecimento ocorre por conta da formação de capital intelectual que ela proporciona. Para uma empresa não existe nada mais valioso do que os seus colaboradores, pois são eles que fazem o negócio funcionar.

O teórico Gareth Morgan, autor da teoria conhecida como “metáforas de Morgan”, compara as empresas com uma máquina. Para ele, assim como um mecanismo precisa de várias peças para funcionar, as empresas necessitam de diversas pessoas para que sua missão seja cumprida. De tal modo, para as organizações, os funcionários são como as peças de uma máquina e se uma para de funcionar, todas as demais são afetadas.

É nesse sentido que a gestão do conhecimento é vantajosa para as corporações, pois proporciona que todos desenvolvam habilidades específicas para a sua função. Além disso, também se aplicam conhecimentos que são úteis para todas as áreas, como é o caso da ética profissional, por exemplo.

Quais são os tipos de conhecimento?

Quando falamos na relação entre gestão do conhecimento e desenvolvimento de funcionários, precisamos ter em mente dois conceitos. Tratam-se do conhecimento explícito e do conhecimento tático, que precisam ser sempre alinhados.

Quem diferencia os tipos de conhecimento é o teórico Fleury e é com base em suas teorias que explicaremos cada um deles, a seguir. Confira!

Conhecimento explícito

Podemos definir o conhecimento explícito como aquele que é facilmente difundido e que pode ser aprendido nos bancos escolares. Tratam-se dos conteúdos disponíveis em livros, artigos, sites de pesquisa, materiais em áudio e vídeo, entre outros formatos.

Com esses materiais em mãos e, talvez, com o auxílio de um professor, qualquer pessoa pode estudar e adquirir novos conhecimentos que, posteriormente, poderão ser aplicados em sua rotina diária.

O conhecimento explícito, portanto, é aquele que pode ser mensurado, que pode ser visualizado, lido ou acessado. Quem lê um livro ou assiste a um vídeo educativo no YouTube, está acessando a um material explícito.

Conhecimento tácito

O conhecimento tácito, por sua vez, não é mensurável, ele não pode ser visto, ouvido ou acessado. Trata-se de algo que está “dentro da cabeça” de cada pessoa, como se fosse uma bagagem que cada um carrega consigo.

Uma pessoa que trabalha há 10 anos em uma empresa, no decorrer desse período, adquiriu muita experiência. Ela conhece detalhes e macetes que facilitam o seu trabalho, já desenvolveu algumas metodologias de trabalho mentalmente e, assim, realiza tudo com facilidade.

Se esse funcionário que por anos trabalha na empresa precisar se ausentar do trabalho ou pedir demissão por qualquer motivo, dificilmente terá um substituto à altura. Afinal, mesmo que se contrate outra pessoa com a mesma formação universitária, dificilmente ela terá a mesma expertise do colega, que já está acostumado com a cultura organizacional e os processos da empresa. Muito por conta disso que as empresas investem em ações para evitar o turnover.

O grande desafio que as empresas têm, dentro desse contexto, é transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito. Quando isso ocorre há uma união entre teoria e prática e os treinamentos ficam mais completos.

Unir os dois tipos de conhecimento é importante para que as empresas possam preparar bem todos os seus colaboradores. É pouco saudável para as organizações que uma única pessoa detenha somente para si como se realizam processos internos. Cada um tem sua vida pessoal e se esse funcionário precisar deixar a empresa, pode levar com ele conhecimentos importantes, que não são de domínio de seus colegas.

Uma técnica que tem sido bastante eficaz para unificar os conhecimentos explícitos e tácitos é a gamificação. Nesse caso, são desenvolvidos jogos digitais que simulam o dia a dia das empresas ou a prática de atividades específicas.

A ideia é que, por meio dos games, os colaboradores possam adquirir habilidades e depois transferir para a realidade as experiências vividas de forma virtual.

Quais são os benefícios da gestão do conhecimento para as empresas?

A gestão do conhecimento traz diversas vantagens para as empresas, pois com colaboradores mais capacitados há um aumento de resultados positivos e também uma redução de custos nos negócios.

Para que você possa visualizar e compreender quais são os benefícios da gestão de conhecimento para as empresas, desenvolvemos uma lista com os principais deles. Acompanhe nos tópicos a seguir!

Melhora as relações do ambiente corporativo

Antigamente a hierarquia organizacional das empresas era vista como uma pirâmide. Nela, o topo era destinado à alta cúpula administrativa, o meio para os gestores intermediários e a parte mais baixa para os colaboradores de nível operacional.

Nesse tipo de situação, era comum que os conhecimentos mais estratégicos fossem restritos às partes mais altas da pirâmide. Os funcionários eram vistos como meras ferramentas de trabalho, que podiam facilmente ser substituídas, caso necessário.

Porém, com o passar do tempo e os avanços da sociedade e do meio empresarial, isso deixou de acontecer. Hoje, ainda existem os níveis hierárquicos, mas todos estão no mesmo patamar de importância. Assim, um operário de máquinas tem o mesmo valor para a empresa do que um gerente e ele também pode atuar de forma estratégica.

A gestão do conhecimento, nesse sentido, colabora para que todos tenham acesso às informações, incentivando o diálogo e o trabalho em equipe. Há, portanto, uma significativa melhora nas relações do ambiente corporativo.

Aumento na qualidade dos produtos vendidos e serviços prestados

A qualidade dos produtos e serviços de uma empresa é algo imprescindível, pois é a partir disso que os clientes se fidelizam à marca. Mas, para que isso ocorra conforme o esperado, é necessário que os colaboradores sejam bem treinados.

Imagine, por exemplo, um vendedor que está atendendo a um cliente insatisfeito com um produto adquirido. Se ele tiver habilidade para lidar com as críticas e um tino voltado para o bom relacionamento com o público-consumidor, poderá fazer com que essa pessoa mude de opinião.

Já no caso de um operário que produz peças, o seu trabalho será feito com muita maestria caso ele saiba operar bem os equipamentos que manipula. Afinal, todos os cuidados serão tomados para que isso ocorra.

Alinha a organização

Cada pessoa tem uma experiência única de vida. Alguns têm a possibilidade de estudar mais, cursar uma faculdade ou uma pós-graduação. Já outros, por diversos motivos, não têm acesso aos mesmos bancos escolares.

Isso faz com que ocorra uma discrepância no nível de conhecimento da empresa. É claro que uma pessoa sem nível superior não vai ocupar um cargo de alto escalão, mas ela precisa ter conhecimentos básicos, como o de relacionamento interpessoal, ética no trabalho e outras áreas que são de interesse para todas as funções.

Com a gestão do conhecimento, há um alinhamento no nível intelectual dos colaboradores. Todos eles saberão como agir em determinadas situações, independentemente de sua formação escolar.

Promove o mapeamento do conhecimento

Já explicamos como é realizado o mapeamento do conhecimento, geralmente, por meio de pesquisas. Esse processo é demasiadamente importante, uma vez que possibilita que sejam identificadas necessidades específicas e gerais dos colaboradores de uma companhia.

Com o mapeamento do conhecimento a empresa poderá montar uma grade de cursos, palestras, workshops, estratégias de gamificação e outras áreas relevantes para o negócio.

Reduz os custos de planejamento

A gestão do conhecimento proporciona uma redução de custos com o planejamento. Isso se justifica porque pequenas ações estratégicas podem ser pensadas e colocadas em prática durante as rotinas de trabalho, quando todos têm conhecimentos necessários para isso.

O planejamento estratégico anual, que abrange todas as áreas da organização, poderá ser dedicado para estratégias macro, ou seja, aquelas que têm grande significado e que podem mudar o rumo da companhia. As ações menores do dia a dia podem facilmente ser desenvolvidas no decorrer da rotina, reduzindo os custos com planejamento.

Proporciona agilidade na tomada de decisões

Existem situações nas empresas que não podem esperar para serem executadas. É o caso do operário de um robô, que citamos como exemplo anteriormente. Ele não pode esperar que um técnico em TI corrija uma linha simples do código de programação para que o equipamento volte a funcionar. Caso contrário, toda a produção poderá ser afetada.

Nesse sentido, a gestão do conhecimento proporciona que haja uma agilidade no momento de tomar as decisões. Isso faz com que os processos não sejam interrompidos e a empresa não tenha prejuízo.

Gera fortalecimento do capital intelectual

Quanto mais desenvolvidos forem os colaboradores, mais eles poderão contribuir para o bom andamento das atividades da empresa. Logo, investir em cursos e treinamentos gerará um fortalecimento do capital intelectual das organizações.

Por conta disso, até mesmo alguns gastos poderão ser cortados. A empresa não precisará pagar por uma consultoria em alguma área, quando tem um funcionário capacitado e que pode realizar esse trabalho, por exemplo.

Promove a vantagem competitiva e estratégica da empresa

A empresa que investe em gestão do conhecimento está um passo à frente dos seus concorrentes que não realizam essa atividade. Isso vai muito além do fato de os colaboradores terem domínio de mais conteúdos, mas sim da formação de uma cultura organizacional voltada para o aprendizado.

Quando a organização valoriza o conhecimento e incentiva que ele seja adquirido, os funcionários também se sentem motivados a buscar mais estudo por conta própria. Assim, eles terão mais o hábito de fazer leituras diversas, cursos de curta duração, uma pós-graduação etc.

Quais são as etapas para implementação da gestão do conhecimento?

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a gestão do conhecimento nas empresas, deve estar se perguntando sobre como implementar tudo isso na empresa, não é mesmo? Elaboramos um passo a passo para isso. Confira!

Faça o diagnóstico da empresa

Para desenvolver um projeto de gestão do conhecimento em uma empresa, o primeiro passo a ser dado é fazer um diagnóstico da organizacional. Trata-se daquele mapeamento que já explicamos anteriormente.

A ideia é que sejam levantadas as necessidades da empresa, o perfil dos colaboradores e outros pontos que devem ser levados em consideração para desenvolver treinamentos.

Planeje as suas ações

Todas as ações da gestão do conhecimento devem ser previamente planejadas. Sugerimos que elas sejam planificadas e que tenham status, podendo assim ser monitoradas pelo responsável pela estratégia.

O planejamento das ações também deve ter metas a serem cumpridas. Um curso online adquirido pela empresa pode ter como meta qualificar 100% dos colaboradores envolvidos em determinada atividade em X dias, por exemplo.

Crie canais de comunicação

É importante que os gestores tenham um canal de comunicação sempre aberto com os colaboradores. Somente assim eles poderão compreender se um curso está sendo bem aproveitado ou não, por exemplo. Essas ações podem nortear atividades futuras para que erros não sejam repetidos.

Hoje em dia existem muitos canais de comunicação que podem ser explorados na internet. Além do e-mail, também podem ser desenvolvidas redes sociais corporativas para que haja essa troca de informações.

Identifique as competências

Uma ideia interessante e econômica para a empresa é promover treinamentos internos, em que os próprios colaboradores se tornem professores de um curso ou palestra. Se um gestor domina muito sobre um assunto, ele pode repassar esse conhecimento para os colegas.

Identificar as competências de cada funcionário e fazer com que elas sejam repassadas aos demais é uma forma de transformar o conhecimento tácito em conhecimento explícito.

Estabeleça uma cultura de conhecimento

As pessoas precisam compreender que não devem estudar e buscar novos conhecimentos apenas para executarem as suas atividades profissionais e manterem os seus empregos. Elas devem compreender que o conhecimento gera melhorias em todas as áreas de nossas vidas, pois expande a mente e instiga a busca por novos conhecimentos de forma constante.

Para que isso aconteça, a empresa precisa desenvolver uma cultura voltada para o conhecimento. Isso só se realiza por meio de exemplos e incentivos, como oferecimento de cursos e parcerias com instituições de ensino.

Utilize a tecnologia (cursos profissionais online)

A tecnologia na gestão de pessoas é uma aliada das empresas quando falamos em gestão de conhecimento. Fazemos essa afirmação porque, hoje em dia, são diversos os cursos profissionais online, que são tão eficientes quanto os presenciais.

As vantagens dos treinamentos a distância são muitas, como a economia gerada por não ter que contratar e pagar o deslocamento de professores. Além disso, cada colaborador pode estudar nos horários em que ele ou seu gestor acharem mais adequado.

Faça a gestão de talentos

Durante os treinamentos e outras atividades que envolvem o conhecimento, também devem ser realizado uma gestão de talentos na empresa.

Nesse sentido, os gestores podem observar quais são os colaboradores que mais se interessam e se destacam na empresa. Eles merecem prioridade quando for necessário fazer uma promoção, por exemplo.

Busque por melhores práticas

Cada empresa é única e não existe uma “receita de bolo” para que as estratégias de conhecimento sejam realizadas. Por isso, ao desenvolver as ações, procure sempre registrar tudo e observar o que dá certo e o que dá errado.

Assim, você poderá fazer correções e buscar sempre pelas melhores práticas, em um ciclo de melhorias contínuas.

Teste o que foi definido

Tudo o que foi definido nas etapas anteriores deve ser testado. Assim, diferentes estratégias de gestão de conhecimento podem ser desenvolvidas, como a gamificação, os cursos a distância, os treinamentos presenciais etc.

Agora você já sabe sobre a importância da gestão do conhecimento e como implementá-la. Portanto, não deixe de colocar o seu aprendizado em prática e garantir todos esses benefícios para a sua empresa.

Nós, da Woli, podemos ajudá-los em todas as etapas desse processo. Entre em contato conosco e saiba mais sobre os nossos serviços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *