7 tipos de testes psicológicos voltados para avaliação comportamental

Spread the love

Muitos ainda não perceberam o poder de influência que o uso da avaliação comportamental no processo de recrutamento e seleção de profissionais tem para os resultados de uma empresa. Nesse contexto, conhecer os tipos de testes psicológicos que podem ser aplicados durante as seleções é fundamental para definir qual o candidato mais adequado para compor o time de colaboradores.

Perfis alinhados à cultura e valores do negócio têm como tendência produzir mais. Essas informações não são reveladas somente pelo currículo e na hora da entrevista. Por isso, é preciso muito cuidado no momento de avaliar competências técnicas e comportamentais.

Confira agora algumas informações pertinentes sobre o assunto e, de quebra, conheça melhor 7 avaliações psicológicas que podem ser realizadas para atingir esse objetivo. Acompanhe e saiba mais!

O ser humano como um indivíduo único

Cada indivíduo é dotado de uma personalidade única, fruto não só da sua natureza como também do contexto no qual nasceu e cresceu, os espaços ocupados e a cultura em que está inserido.

No âmbito corporativo, a análise e estudo dessas diferenças deram origem às metodologias aplicadas para a avaliação comportamental. As organizações descobriram que trabalhar com diferentes perfis é bom para os seus resultados. Por isso, estão sempre em busca de aprimorar esses processos para alocar os profissionais em posições mais adequadas as suas características.

Essa análise de perfil pode ser usada com múltiplas finalidades, como em processos seletivos ou para recolocação em outros cargos e promoções. O objetivo principal é aproveitar o ativo humano da forma mais completa possível, de acordo com as suas particularidades. Como o resultado revela importantes traços na personalidade de cada um, as empresas conseguem extrair o que há de melhor dentro da sua realidade.

O papel dos testes na contratação

Os desafios da contratação de novos colaboradores não se resumem a identificar as habilidades técnicas dos profissionais. Na realidade, os testes aplicados durante as seletivas e o conhecimento adquirido nas primeiras semanas de trabalho com a colaboração das equipes e treinamentos facilita esse processo.

Entender se o profissional se encaixa ao fit cultural da empresa é um pouco mais complicado. Assim como cada indivíduo é único, as organizações também têm suas particularidades — e encontrar um profissional que esteja alinhado a elas nem sempre é uma tarefa fácil.

Somado a essas questões, também é preciso considerar que cada função exige algumas aptidões específicas. Por exemplo, um bom líder deve exercer autoridade, confiança, empatia e saber ouvir as pessoas, tudo ao mesmo tempo.

A avaliação comportamental tem um importante papel para que esses objetivos sejam cumpridos. É por meio dos testes psicológicos que é possível verificar se o profissional realmente se encaixa no perfil exigido pela vaga, como também na cultura da empresa. Além disso, existem as questões relacionadas ao relacionamento com os colegas, ponto importante para compor um bom ambiente de trabalho.

Vale destacar que os testes devem ser aplicados por profissionais habilitados: psicólogos com CRP ativo, capazes de identificar se o perfil é condizente com as necessidades da organização, já que o resultado da avaliação não se mede por certo ou errado, mas sim pela adequação à cultura da empresa.

As situações em que os testes comportamentais podem ser úteis

Até agora, muito foi falado sobre a aplicação do teste comportamental na seleção e recrutamento de colaboradores. Nada mais justo, afinal, ele verifica se as competências técnicas e pessoais do candidato estão alinhadas ao fit cultural da empresa e com as exigências do cargo em aberto.

Isso você já sabe. No entanto, a avaliação comportamental pode e deve ser aplicada em outras situações pertinentes ao contexto empresarial:

  • promoção: para avaliar o grau de motivação e nível de satisfação antes de promover um colaborador;
  • recolocação interna: verifica se o colaborador está comprometido a realizar novas funções e apto para aceitar novos desafios;
  • recolocação no mercado: avalia o profissional para conceder um melhor direcionamento na busca por um novo emprego;
  • mudança de carreira e vocacional: importante para aqueles que estão em dúvidas sobre qual caminho profissional seguir.

Os 7 principais tipos de testes psicológicos

Conheça agora 7 tipos de testes psicológicos voltados para a avaliação comportamental que podem ser aplicados na sua empresa.

1. Inventário de Administração de Tempo (ADT)

Todos os tipos de testes psicológicos têm um objetivo para ser aplicados. No caso do Inventário ADT, a finalidade é fazer uma análise sobre a forma como as pessoas administram o seu tempo durante o trabalho, tal como o nome sugere.

O teste deve ser aplicado por profissionais que tenham experiência em inventários desse gênero, pois, as quase 100 questões relacionadas ao assunto levam a um diagnóstico sobre o desperdício de tempo.

Ele também pode ser administrado por meio de dinâmicas feitas em grupo, o que revela as habilidades do candidato para trabalhar em equipe. O bom desempenho na atividade é visto como um diferencial.

2. Palográfico

Um dos tipos de testes psicológicos mais comuns, o palográfico, consiste no ato de o candidato traçar linhas paralelas em uma folha de papel em branco.

O espaçamento, tamanho, a direção dos traços e outras características revelam aspectos da personalidade do indivíduo. Os elementos que costumam ser avaliados são:

  • produtividade;
  • agressividade;
  • iniciativa;
  • ritmo de trabalho.

De fácil aplicação, a sua avaliação deve ser realizada por um profissional experiente.

3. Teste de Raciocínio Lógico

Esse é um exame bastante conhecido, pois as pessoas podem se deparar com ele em mais de um ambiente — como é o caso do DETRAN.

O objetivo da avaliação é investigar aspectos sobre o raciocínio lógico, por isso, também é utilizado em avaliações psicológicas no trânsito, como no caso daqueles que estão tirando a Carteira Nacional de Habilitação pela primeira vez, renovando o documento ou mudando de categoria.

No âmbito empresarial, costumam ser aplicados nas entrevistas seletivas, mas seu uso principal é o de avaliar a contratação de vigilantes e seguranças.

4. Teste Não Verbal de Inteligência (G-36)

O G-36 é uma avaliação que pode ser aplicada tanto nos processos de recrutamento e seleção, como durante a rotina normal da empresa para medir o que as novas experiências vividas pelo indivíduo modificaram em seu comportamento.

A proposta desse teste é observar as habilidades intelectuais das pessoas, excluindo as manifestações verbais. São mensurados:

  • relações de identidade simples;
  • raciocínio por analogia com mudança de posição;
  • raciocínio por analogia de tipo numérico, com mudança de posição e tipo espacial;
  • relação entre identidade e raciocínio por analogia.

Dessa forma, as questões aplicadas são organizadas por ordem de dificuldade, iniciando da menor para a maior.

5. Questionário de Avaliação Psicológica (QUATI)

O Questionário de Avaliação Psicológica (QUATI) examina a personalidade do candidato utilizando situações previamente determinadas para que possa ser verificada a postura do indivíduo mediante o contexto escolhido pela empresa.

A ferramenta investigativa costuma avaliar:

  • aptidão;
  • afinidade;
  • interesse;
  • comportamento individual;
  • características cognitivas;
  • atitudes conscientes;
  • funções inconscientes.

Altamente eficiente, contribui para a formação de equipes de alto desempenho, revela os profissionais que têm o conjunto de competências ideais para ocupar uma vaga e também pode colaborar com a resolução de conflitos internos de uma empresa.

É usado, inclusive, em testes vocacionais para adolescentes, programas de ensino-aprendizagem e orientações escolares.

6. Teste Wartegg

O Teste de Wartegg é um método de investigação da personalidade realizada por meio de desenhos. Nas entrevistas seletivas de emprego, é comum que os avaliadores deem um tema para os candidatos desenvolverem suas produções individualmente.

Os campos a serem testados, cada um por um elemento gráfico, devem ser:

  1. eu, ego e autoestima;
  2. fantasia e afetividade;
  3. ambição, metas e objetivos;
  4. angústia e habilidade para lidar com conflitos;
  5. energia virtual e transposição de obstáculos;
  6. criatividade;
  7. sexualidade, sensualidade e sensibilidade;
  8. social e empatia com o próximo.

Cada campo tem um valor, e a integração entre eles deve resultar na estrutura e dinâmica da personalidade do candidato.

7. Escala Beck

A Escala Beck é uma avaliação um pouco mais séria, pois, ao mesmo tempo em que verifica o nível de ansiedade, também expõe se o candidato tem alguma tendência suicida.

Sua aplicação geralmente é feita em clínicas ou com especialistas em acompanhamento pessoal, fundamental para empresas que verificam algum comportamento preocupante em um ou mais colaboradores.

O Inventário de Depressão e o Inventário de Ansiedade e Escala de Desesperança, conhecidos respectivamente por Escalas BDI, BAI e BHS, podem ser utilizados para qualquer profissional, independentemente de apresentar qualquer problema relacionado, e servem para:

  • medir a intensidade da depressão, no caso da BDI;
  • mensurar o grau de ansiedade por meio da BAI;
  • detectar o nível de pessimismo, com a BHS.

Conhecer o quanto um indivíduo é ansioso ou pessimista é fundamental para acertar na contratação, especialmente em cargos em que os processos de tomada de decisão façam parte da rotina.

Escolhas devem ser feitas com cautela, já que um parecer dado por impulsividade pode trazer sérios prejuízos aos resultados e à imagem de uma corporação. Idem o pessimismo, quando muito presente, pode travar procedimentos que exijam criatividade e uma certa dose de audácia.

Já a Escala de Ideação Suicida (BSI) é comumente utilizada em pacientes psiquiátricos, pois serve efetivamente para verificar se há motivação e planejamento de uma atitude suicida.

Os benefícios dos testes

Acertar em uma contratação nunca é tarefa fácil. Além de identificar as competências técnicas de um profissional, é preciso assegurar que as habilidades pessoais se encaixam a cultura da empresa. Nesse sentido, conhecer e valorizar o capital humano de uma organização é fundamental para manter a vantagem competitiva do negócio.

Seja qual for o teste escolhido para aplicar a avaliação comportamental, é importante ter em mente que você está fazendo uma boa escolha para atração e retenção de talentos, além de impactar positivamente em outras questões como a produtividade.

No caso do recrutamento, como já mencionamos ao longo deste artigo, os testes psicológicos viabilizam contratações mais adequadas às políticas da empresa, uma vez que identificam os traços de personalidade de um indivíduo e demais aspectos relevantes para o desempenho no exercício da função. Conheça agora outras vantagens proporcionadas pela adoção da avaliação comportamental nas empresas.

Cultura organizacional

Com o alinhamento de perfis proporcionado pelo teste comportamental, também há o fortalecimento da cultura organizacional. Por incrível que pareça, não é incomum encontrar empresas que ainda não tem uma identidade bem definida – o que pode ser prejudicial para consolidar a sua imagem no mercado e, consequentemente, diminuindo o engajamento dos colaboradores.

As avaliações permitem o fortalecimento dessa cultura, melhorando a imagem da organização perante o público, especialmente como empregadora. Dessa forma, ela também desperta o interesse dos talentos disponíveis no mercado, facilitando a composição de equipes de alto desempenho.

Comunicação interna

Quando a empresa conhece seus colaboradores, ela passa a se comunicar melhor com esses times. Grupos de trabalho mais integrados ao empregador tendem a ser mais produtivos, já que as melhorias em comunicação interna promovem transparência e diminuem problemas. De quebra, há um aumento da produtividade.

O teste comportamental faz esse cenário ficar ainda mais favorável, já que é possível estabelecer qual o tom mais eficiente para se comunicar com essas pessoas. A vantagem pode ser ainda maior se pararmos para analisar do ponto de vista estratégico, uma vez que essa é uma melhoria que não exige altos investimentos.

Planejamento estratégico

Ainda falando em estratégias, o profundo conhecimento sobre a personalidade dos profissionais, proporcionado pelos testes psicológicos, contribui diretamente para a composição de um planejamento estratégico eficiente.

Tudo porque a avaliação comportamental permite traçar um panorama sobre as equipes como um todo, revelando como elas funcionam de maneira integrada. Como o ativo humano funciona como uma espécie de engrenagem, seus componentes são como os motores que a fazem funcionar. Quando o funcionamento é conhecido, o planejamento estratégico pode ser feito de maneira muito mais efetiva.

Como você pôde notar, todos os tipos de testes psicológicos têm como finalidade averiguar as habilidades comportamentais dos candidatos e, ainda, indicar traços importantes sobre a personalidade de cada profissional. Aplicá-los é fundamental para que a empresa faça uma contratação com segurança, no sentido de escolher o perfil que mais se encaixa às necessidades da empresa por meio da avaliação comportamental.

Se este material foi útil para você, curta a nossa página no Facebook e tenha acesso a outras informações pertinentes a rotina do departamento de RH. Até breve.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.