Por que a diversidade no ambiente de trabalho é necessária?

Tempo de leitura: 12 minutos

Investir em diversidade no ambiente de trabalho é uma das maiores tendências do mercado atual. Além de ser uma demanda social, promover a inclusão de pessoas diferentes no mesmo contexto é uma vantagem estratégica para as empresas. Afinal, uma organização com uma equipe diversificada consegue obter vários pontos de vista sobre determinado assunto e criar soluções para públicos distintos.

Embora o cenário esteja mudando aos poucos, a diversidade ainda não é realidade na maioria das empresas. Segundo o IBGE, a população negra do Brasil corresponde a 54,9% do total, mas apenas 4,7% deles estão no quadro executivo das organizações. Outro exemplo: temos cerca de 45 milhões de pessoas com deficiência (PCDs) no Brasil, mas somente 0,84% estão incluídas formalmente no mercado de trabalho.

Tendo em vista esses dados, pode-se dizer que empresas que se preocupam com diversidade contribuem para tornar a sociedade mais inclusiva e se tornam mais competitivas no mercado. Pensando nisso, explicaremos neste post a importância dessa prática e como investir nela de forma efetiva. Quer saber mais? Confira a seguir!

Quais são as vantagens da diversidade no ambiente de trabalho?

Nos últimos anos, movimentos sociais que reivindicam a igualdade de minorias ganharam força globalmente. Promover a inclusão no mundo corporativo significa entender a importância do respeito e da valorização das diferenças. É aí que entra uma das principais vantagens desse posicionamento para as empresas: melhorar a employer brand (marca empregadora).

Se uma empresa é reconhecida por sua diversidade, cada vez mais pessoas de diferentes origens terão interesse em se juntar a ela. Isso facilita a atração de talentos, já que as opções de candidatos para preencher as vagas serão sempre abundantes e qualificadas.

Reter esses profissionais na organização também é mais fácil, afinal, um ambiente respeitoso e diverso favorece o clima interno. Com isso, os colaboradores ficam mais satisfeitos com seus empregos e os conflitos no dia a dia diminuem, o que mantém a produtividade e a eficiência em alta.

Outro grande benefício da diversidade no ambiente de trabalho é o enriquecimento cultural da empresa. Pessoas com origens, crenças, etnias, orientações sexuais e classes sociais diferentes trazem para a organização ideias e visões de mundo nada parecidas umas com as outras.

Isso está associado ao desenvolvimento de produtos mais criativos e inovadores, que não seriam possíveis se todas as pessoas da equipe tivessem vivências parecidas.

Quais são as melhores práticas para promover a diversidade?

Recrutamento inteligente

O apoio à diversidade deve começar ainda no processo seletivo. Desde o início, os recrutadores devem buscar profissionais com diferentes perfis, evitando formar uma equipe com pessoas que pensem sempre da mesma forma.

Uma boa maneira de fazer isso é praticar a seleção às cegas e eliminar dos currículos detalhes que não dizem respeito às qualificações do profissional, como nome, gênero, idade, entre outros dados. Assim, é possível escolher o candidato por aquilo que ele tem a oferecer.

A cultura inclusiva precisa ser apresentada logo nas primeiras entrevistas para que o RH possa avaliar se o candidato está apto a conviver com pessoas diferentes. Hoje em dia, já existem softwares que cruzam as informações dos candidatos com o perfil dos atuais colaboradores para ver os que estão mais aptos para fazerem parte da equipe.

Respeito e inclusão no dia a dia

Apenas contratar profissionais de várias origens não basta: é preciso saber incluir as pessoas e estimular o respeito entre elas. Favorecimentos não podem existir, seja qual for o motivo. Os profissionais devem ser avaliados única e exclusivamente por seus resultados e habilidades. Da mesma forma, a cobrança deve ser a mesma para todos.

Piadas sobre sotaque, orientação sexual, cor, religião e outros assuntos sensíveis devem ser banidas no ambiente de trabalho. Por mais que esse tipo de brincadeira seja considerado inofensivo para quem o faz, pode ser extremamente depreciativo para quem é alvo do comentário.

Em casos assim, os líderes e o RH devem ter uma conversa firme com o agressor e deixar claro que esse tipo de comportamento não será tolerado na empresa. Se as situações se repetirem, o melhor é optar pela demissão da pessoa.

Criação de comitês específicos

Muitas empresas criam comitês para promover ideias ou bandeiras de incentivo à diversidade. Esse tipo de ação pode ser uma ótima alternativa para conscientizar a equipe sobre a igualdade de gênero, racial e LGBT, entre outras. Isso aumentará a empatia, o entendimento dessas causas e o respeito entre os colaboradores.

Esses comitês de apoio à diversidade devem ser permanentes e contar com o apoio do setor de Recursos Humanos para desenvolver ações eficazes. Dentre as principais atividades que podem ser realizadas por eles estão: palestras, treinamentos com os líderes, gincanas e semanas temáticas.

Além de terem autonomia para poder criarem atividades em prol da diversidade, também podem participar da criação de políticas internas para auxiliar nos processos seletivos de maneira mais justa. Bem como orientar em situações em que haja situações em que envolvam o preconceito.

Atenção à estrutura

Também é interessante que a estrutura da organização seja um espelho do seu público. Por exemplo: em um negócio no qual 70% dos consumidores são mulheres, faz muito mais sentido ter mulheres nos cargos de liderança do que homens. Muito além da igualdade de gêneros, também é uma questão de estratégia.

Um passo muito importante quanto a isso, refere-se à revisão dos perfis funcionais. Ou seja, deve ser repensando o plano de carreira e a estrutura de cargos e salários. O único fator que deve diferenciar os critérios de conquistas no ambiente profissional são as competências e habilidades profissionais dos funcionários.

Além da estrutura hierárquica, a empresa também deve estar atenta quanto à estrutura física. Portanto, otimize o ambiente de trabalho para facilitar o acesso de colaboradores e visitantes que tenham necessidades especiais.

Criação de uma estrutura de comunicação interna

A criação ou intensificação de canais de comunicação interna para tratar assuntos específicos, como os relacionados à diversidade, é essencial para propagar as ideias e valores de uma cultura da diversidade na empresa.

Portanto, adote recursos tecnológicos e digitais para promover o diálogo entre a equipe, em que as pessoas possam ter liberdade para apresentar críticas e sugestões que contribuem para a adoção de um cultura de diversidade.

Além disso, podem ser criadas metodologias e ferramentas para promover a troca de experiências e diálogo, como a criação de uma comunidade nas redes sociais para compartilharem textos, ideias que contribuem para a valorização da diversidade no ambiente de trabalho.

Reforço do trabalho com as lideranças

Saber lidar com as diferenças e transmitir essa sabedoria à equipe é um das funções dos líderes. Por isso, o processo de criar uma cultura de diversidade dentro das empresas deve começar por eles, que aos poucos a disseminará entre os seus subordinados.

Os líderes podem trabalhar em parceria com os comitês para aprenderem a como incentivar e promover a tolerância e o respeito à diversidade no ambiente de trabalho. Bem como orientá-los nas mais diversas situações que podem enfrentar no dia a dia.

Promover a diversidade também é um trabalho educativo. Portanto, realize treinamentos com os líderes e com as equipes sobre temas que abordam os vários tipos de diversidade e incentive a cooperação dos líderes nesse processo.

Quais são os maiores desafios dos líderes ao apostar na diversidade?

Para refletir sobre diversidade, é preciso estar aberto a novos aprendizados, abandonar preconceitos e desenvolver empatia e resiliência. Não é um caminho fácil, visto que a sociedade está repleta de crenças e comportamentos enraizados. Porém, os resultados desse esforço compensam e vão muito além do ambiente de trabalho.

Um dos maiores desafios dos líderes é adequar a cultura organizacional, que nem sempre tem a diversidade como um dos seus principais pilares. Essa mudança costuma enfrentar resistência de muitos funcionários, sobretudo em empresas mais antigas e tradicionais.

Parte dos colaboradores pode acreditar que novas práticas não são necessárias, o que requer muita paciência e poder de persuasão por parte dos gestores.

Portanto, é impossível haver mudança sem o engajamento dos líderes. Eles devem ser o exemplo a ser seguido pelas equipes que buscam um ambiente mais inclusivo, aberto e produtivo. Para isso, todo gestor deve ter bom poder de comunicação, procurar desenvolver seus subordinados e reconhecer a importância da diversidade.

Se o líder for querido e carismático, será muito mais fácil influenciar todos a buscarem uma valorização cada vez maior das diferenças. Essa postura também permitirá tirar proveito das habilidades de seus talentos da melhor maneira possível.

Como evitar atitudes preconceituosas na empresa?

Além de promover a diversidade, a empresa também deve preocupar-se em criar um plano de ação para inibir os ofensores. Muitas vezes o preconceito acontece de forma discreta e quando notado faz muitos estragos. Para tanto, podem ser criadas políticas internas, códigos de conduta ou códigos de éticas.

Nesses documentos, alguns pontos devem ser abordados, como identificar onde e como são iniciadas as situações de discriminação e como todos os colaboradores podem adotar uma conduta mais consciente e respeitosa juntos aos demais.

Em relação a esses aspecto, é interessante mostrar situações em que o preconceito transforma-se em discriminação. Como uma piada de mau gosto, assédio moral, exclusão do grupo devido ao gênero, cor, origem ou qualquer outra forma de julgamento descabido.

A empresa também deve deixar bem claro que o preconceito vai contra os valores pregados pela empresa e mostrar quais são as consequências nas situações em que houver discriminação, como suspensão e, até mesmo, demissão.

A melhor maneira de evitar atitudes preconceituosas e promover a diversidade no ambiente de trabalho é por meio de uma diálogo e de uma comunicação eficiente. Por fim, estimule os funcionários a não ficarem em silêncio, independentemente se forem vítimas de preconceitos ou presenciarem algo.

É preciso expor o problema para buscar por soluções, por isso dar um feedback é importante. Diante de denúncias, o caso deve ser apurado, sanções devem ser aplicadas e ações devem ser tomadas para que casos semelhantes não aconteçam novamente

Quais são as empresas que trabalham a diversidade?

Google

O Google tem investido bastante para diversificar o seu quadro de funcionários, principalmente em programas para desenvolver o interesse das mulheres pela área de tecnologia. Além de fornecer ferramentas para apoiá-las no seu desenvolvimento.

A empresa criou o Computer Science Academy. Nesse programa, 15 mulheres latino-americanas passaram 3 meses no Vale do Silício para ter aulas teóricas e práticas para aprofundar seus conhecimentos na área de ciências da computação.

Já para as suas colaboradores, a empresa tem uma rede global, a Women@Google, que conecta todas as colaboradores da empresa para criar uma ambiente de trabalho mais acolhedor. Bem como permitir que elas fazem Networking e ter mais visibilidade dentro da empresa.

Facebook

O Facebook é outra empresa de tecnologia que tem investido em diversidade. Embora a maioria dos cargos sejam ocupados por homens, a empresa apresentou um relatório de diversidade, no ano de 2018, mostrando como estão tornando a sua força de trabalho mais feminina e diversificada.

O percentual de mulheres no Facebook em todo o mundo aumentou de 31% para 36%, entre 2014 e 2018. Também aumentaram a proporção de colaboradores asiáticos, negro e hispânicos em toda a empresa nas diversas funções.

Isso é possível por meio da mudança na forma como recrutam novos colaboradores. A empresa passou a contratar mais pessoas por meio de programas em parcerias com universidades e faculdades historicamente negras e hispânicas para atrair mais estudantes do sexo feminino e de diferentes etnias.

Coca-cola

O grupo Coca-cola também tornou-se referência no assunto. As empresas brasileiras, desde de 2012, têm criado iniciativas para promover a diversidade a partir da criação de comitês da diversidade, como grupos dedicados à gênero, raça, geração, LGBT+ e pessoas com deficiências.

Um dos projetos é “Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial”, criado em 2015. As iniciativas desse projeto tem impactado o Programa Jovem Aprendiz, que destina 100% das vagas a candidatos negros para trabalharem em diversas áreas. Além de reservar cargos de gerente sênior para candidatos negros.

Outro programa implantado na empresa é Comitê de LGBT+. A Coca-cola estendeu os benefícios dos funcionários para os casais homoafetivos. Em uma de suas campanhas para promover a diversidade dentro da empresa, surpreendeu a equipe com uma latinha de coca-cola, mas com fanta laranja dentro.

No seu rótulo continha a seguinte frase: “Essa Coca-cola é Fanta e daí?” para que as pessoas tenham coragem de assumir quem realmente são e ignorar os rótulos impostos pela sociedade.

Agora que você já entendeu a importância da diversidade no ambiente de trabalho, basta aplicar tudo o que aprendeu no dia a dia da sua empresa. Afinal, quanto mais gente diferente, melhor para o clima organizacional e para os resultados do negócio. Preparado? Mãos à obra!

Gostou do post? Quer saber como o RH da sua empresa pode se preparar para lidar com a diversidade no ambiente de trabalho? Então, confira nosso artigo sobre diversidade nas organizações e o papel do RH. Esperamos você lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *