Como o job rotation impacta na empresa?

Tempo de leitura: 6 minutos

No dia a dia, é comum que os profissionais se acostumem a sempre exercer a mesma função dentro da empresa. Entretanto, isso gera uma noção limitada sobre os processos organizacionais, além de fazer com que talentos e habilidade individuais fiquem “adormecidos”.

E é nesse contexto que surge o job rotation. Uma prática que está se tornando cada vez mais comum nas empresas, ajudando-as a aproveitar ao máximo a capacidade, potencial e qualificação de seus colaboradores.

Continue lendo e confira tudo que você precisa saber sobre esse conceito que promete se destacar no cenário do RH estratégico!

Job rotation: o que é e como funciona?

Em tradução livre para o português, job rotation significa rotação de cargos. Esse é um método que foi introduzido no Brasil pelas multinacionais e está ganhando cada vez mais espaço.

Consiste, basicamente, em um rodízio de trabalho voltado para a difusão de conhecimento. Ou seja, em vez de ficar fixo em apenas um cargo, o colaborador passa por diversos setores da empresa e exerce diferentes funções durante um período determinado.

Normalmente funciona assim: um profissional que acaba de ingressar no time da empresa, pode passar um período no setor administrativo, outro no financeiro, depois no marketing e por fim, integrar a equipe de vendas.

Esse período pode ser diário, semanal, mensal ou semestral, variando de acordo com a realidade e a estrutura de cada negócio.

Ao final do programa, ele pode ser alocado para a área que mais se encaixa com o seu perfil. Além disso, ele passa a conhecer o papel de cada departamento individualmente e, consequentemente, entende melhor o funcionamento da organização como um todo.

A prática do job rotation era bastante comum em programas de estágio e trainee, mas hoje em dia está se adaptando a diferentes situações, sendo aplicada até mesmo para profissionais mais experientes.

O que nunca muda é o objetivo principal: desenvolver as habilidades dos funcionários e prepará-los para os desafios do mundo corporativo.

Qual é a importância desse conceito?

Em um mercado cada vez mais complexo e competitivo, é fundamental investir na constante otimização de recursos e no aumento da produtividade. Por isso, o job rotation está ganhando cada vez mais força.

A metodologia pode ser aplicada em negócios dos mais diversos segmentos e portes, trazendo benefícios tanto para a instituição quanto para os funcionários.

Especialistas em recursos humanos consideram esse conceito essencial para formar profissionais completos e com alto poder de conhecimento sobre a empresa na qual atuam.

Com o job rotation, os colaboradores têm a oportunidade de conhecer as necessidades de áreas diferentes, interagir com equipes diversas e obter uma visão holística do negócio. Dessa forma, eles desenvolvem uma capacidade analítica para a resolução de problemas.

Adotar essa técnica ainda ajuda a quebrar possíveis barreiras de comunicação dentro da empresa, pois compreender e acompanhar as atividades dos colegas de perto gera conexões e respeito mútuo, aflorando o espírito colaborativo.

A estratégia costuma tirar o profissional da zona de conforto, promovendo a descoberta de novos conhecimentos, o aumento do networking e a ativação da liderança. Isso gera motivação e estimula a criatividade daqueles que gostam de sair da rotina monótona e enfrentar desafios diários.

Tendo a oportunidade de vivenciar novas experiências, podem ser descobertos talentos e habilidade que nem mesmo o profissional sabia possuir.

Vale lembrar que o job rotation também estimula a empatia e o senso de pertencimento, visto que o colaborador conhece mais, se envolve mais e reconhece sua importância para o funcionamento da organização no geral.

Como colocar o job rotation em prática?

Mesmo com todos esses benefícios, o job rotation pode afetar negativamente as operações internas caso não seja bem planejado ou conduzido de forma inadequada.

Um bom planejamento evita problemas sindicais e o desperdício de recursos como tempo e dinheiro. Por isso, confira quais pontos merecem a atenção do profissional de RH:

Escolha o tipo de job rotation

O job rotation pode ser separado em dois tipos: curto prazo e longo prazo.

O primeiro consiste em menores intervalos de tempo entre as mudanças de setores (como um turno específico do dia), permitindo uma experiência mais breve em cada função.

Já o segundo tem como objetivo um aprendizado mais aprofundado. Por esse motivo, requer mais burocracia: mudança real de trabalho, alterações de contrato, entre outros.

Incentive a colaboração de todos

Já que o job rotation é baseado na interação direta entre setores que podem ser completamente diferentes, é muito importante garantir uma integração entre eles.

Ainda que seja necessário delegar responsáveis por cada projeto, recomenda-se incentivar a colaboração de todos na hora de desenvolver o roteiro e detalhes do programa — sempre tendo a área de gestão de pessoas como mediadora.

Avalie os funcionários

Antes de dar início ao programa, é preciso verificar se os colaboradores envolvidos têm algum conhecimento básico na área em que poderão atuar.

Isso evita que o profissional ocupe um cargo em que se sentirá perdido ou até mesmo atrapalhe o andamento das atividades do departamento que o recebe. Então, elabore um plano de avaliação consistente e conte com a ajuda dos gestores de cada setor.

Defina uma sequência lógica

Mesmo que o colaborador vá passar por todos os setores da empresa, é imprescindível que seja definida uma sequência lógica que o auxiliará no aprendizado e na obtenção de um panorama claro.

De modo geral, é indicado deixar as áreas mais complexas para o final. Assim, todo o conhecimento acumulado ajudará no desempenho da função.

Prepare as áreas para receber o job rotation

Depois que todo o planejamento foi feito, é hora de avaliar se os departamentos envolvidos estão preparados para receber um novo integrante e ensiná-lo a exercer sua nova função.

Se for detectado algum problema, é essencial solucioná-lo antes de dar início ao processo. Ao final do programa, marque uma conversa com o colaborador e o gestor a fim de identificar os pontos fortes e o que deve ser melhorado.

O job rotation é uma ótima maneira de fazer com que os funcionários e a própria organização se mantenham sempre em movimento. Afinal, a metodologia é capaz de desenvolver profissionais mais conscientes, preparados, atualizados e capazes de atuar em prol do sucesso empresarial.

E você, pretende adotar o job rotation em seu negócio? Ou já teve alguma experiência com essa técnica? Compartilhe sua opinião conosco no espaço para comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *