Outplacement: entenda como funciona o processo de recolocação profissional?

Tempo de leitura: 6 minutos

A dispensa profissional é uma etapa que pode ser complicada tanto para o talento quanto para a organização. Especialmente quando o desligamento é motivado por razões alheias — como cortes de custos —, é preciso ter atenção quanto aos impactos. Nesse sentido, o outplacement surge como uma alternativa.

Essa técnica inclui um cuidado específico sobre a dispensa e ajuda todos os envolvidos na relação. Em muitos casos, inclusive, traz efeitos positivos em vários aspectos.

A seguir, entenda como funciona a técnica de outplacement e veja como ela pode ser aplicada na sua empresa.

Afinal, o que é o outplacement?

Na década de 1960, os Estados Unidos passaram por uma crise nas vagas direcionadas aos cientistas e engenheiros — especialmente, na questão eletrônica e de desenvolvimento de tecnologias. Para reduzir os impactos e garantir melhor colocação de profissionais capacitados, foi criado o outplacement.

Nas décadas de 80 e 90, o conceito começou a ganhar forma em terras tupiniquins. Nos últimos anos, devido aos ciclos econômicos, a proposta obteve ainda mais força.

Basicamente, é uma etapa que visa a humanizar o processo demissional. Quando ele está presente, o profissional não é apenas dispensado. Na realidade, é oferecida uma rede de apoio completa, o que o leva a conseguir a recolocação no mercado.

Essa fase é executada a partir de uma parceria entre o RH, os gestores, o profissional e até uma empresa externa. O objetivo principal consiste em reduzir os impactos negativos da dispensa.

Como a técnica é aplicada?

Para funcionar, é essencial que o outplacement conte com um bom planejamento. Isso permite que cada necessidade seja atendida de maneira individual, o que potencializa a conquista de resultados.

Antes mesmo de o profissional ser demitido há um planejamento feito entre RH, gestão e empresa contratada. É necessário considerar quais são as ações executadas, as necessidades do colaborador e as suas habilidades. A partir disso, é possível elaborar um planejamento do que deve ser feito para ajudá-lo.

Conforme a etapa se aproxima, é preciso definir a proposta apresentada, quem será o responsável e todas as outras condições. Isso fortalece a comunicação e garante um melhor resultado.

Em seguida, ocorre a desvinculação em si. Tudo tem que ser conduzido com responsabilidade, transparência e levando em conta a humanização. As justificativas apresentadas têm que ser coerentes, assim como o plano para o momento derradeiro. Por fim, ocorre a comunicação sobre o desligamento.

Com o outplacement, ainda existe uma etapa extra. Após a dispensa, o planejamento é colocado em prática. Há, por exemplo, uma fase voltada para a reestruturação do currículo e para a análise de quais são os objetivos profissionais. Também podem ocorrer treinamentos, reciclagens e orientações para que o colaborador esteja capacitado para entrar novamente no mercado de trabalho.

Quais são os maiores benefícios para o profissional?

Ninguém deseja ser demitido. No entanto, quando a situação é inevitável, a existência do outplacement é capaz de trazer vantagens.

Para a empresa há redução nos riscos de sofrer ações trabalhistas e uma melhoria na imagem corporativa. Porém, é o colaborador o maior beneficiado diante da inevitável dispensa. A seguir, veja quais são os melhores efeitos para o funcionário.

Possibilidade de refletir sobre a carreira

Diante das obrigações da vaga atual, muitos profissionais não têm visão sobre onde estão ou o que desejam alcançar. Falta planejamento sobre a carreira e definição de ambições, objetivos e metas.

Com a orientação dada por esse processo, o indivíduo tem a chance de fazer uma reflexão profunda e valiosa sobre a própria atuação. Isso permite que ele encontre quais desafios deseja encarar e qual é o patamar que pretende alcançar. Como resultado, consegue elaborar um guia para a condução da carreira.

Diminuição do tempo de recolocação profissional

Após a demissão — especialmente, quando o cargo já era ocupado há alguns anos —, é comum que as pessoas demorem a encontrar outro emprego. Em uma situação de crise de mercado, o processo fica mais complexo.

Porém, o outplacement auxilia a vencer esse obstáculo. Como a técnica ajuda a ter uma visão ampla e a se preparar para os novos desafios, o profissional consegue buscar as vagas indicadas para o seu perfil. Com as orientações adequadas, tem a possibilidade de se destacar dos concorrentes e de conquistar a contratação com maior facilidade.

Diferenciação de mercado

Na maioria dos casos, o outplacement oferece treinamentos, capacitações e conhecimentos extras. Surge uma oportunidade para que o indivíduo demitido preencha seu currículo e engrosse o seu rol de habilidades.

O maior benefício, além de mantê-lo atualizado, é que a competitividade aumenta. O currículo se torna mais completo e diferenciado, o que gera destaque em relação aos concorrentes. Assim, é possível buscar posições melhores e conquistar um nível ampliado de sucesso.

Ampliação da autoconfiança

Com a demissão, é natural que os profissionais se sintam inseguros sobre a própria atuação. Esse cenário, então, pode causar prejuízos para o desempenho no futuro, já que as pessoas sentem que não têm o que é necessário para chegar ao êxito.

Com o outplacement, em primeiro lugar, há uma comunicação clara e que não deixa dúvidas sobre o motivo da dispensa. Assim, é possível trabalhar fraquezas de forma muito mais estruturada. Além disso, o apoio e a capacitação são determinantes para que haja um aumento da autoconfiança, o que leva a um desempenho reforçado.

Redução dos impactos da transição

Encarar a dispensa profissional e, depois, conseguir retornar ao mercado é um processo com várias etapas de transição. Para muitas pessoas, isso dá origem a problemas como ansiedade, estresse, desmotivação, entre outros.

O suporte dado por esse passo ajuda a vencer os principais desafios. Assim, a mudança acontece de forma mais suave e benéfica para o profissional.

Como realizar o processo com coaching?

Para não sobrecarregar a atuação do setor de RH e para garantir melhores efeitos, o outplacement pode ser realizado com a contratação de um coaching. Como é especializado na orientação e na melhoria individual, é a escolha ideal para conduzir a etapa da melhor maneira.

O coach será responsável por guiar o profissional dispensado na nova jornada até a próxima posição. Ele é capaz de ajudar o colaborador a identificar seus desejos e objetivos, bem como pontos fortes e fracos. A partir disso, fica mais fácil elaborar um plano de carreira específico e com chances de sucesso.

O outplacement é uma etapa de recolocação profissional que é benéfico para as empresas e para os colaboradores. Feita do jeito certo, deve ser considerada entre as estratégias do RH.

Ainda tem dúvidas sobre esse processo? Conte nos comentários e participe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *