Lifelong learning: O que é e como incentivar esse hábito na empresa?

Tempo de leitura: 6 minutos

A tecnologia evolui e transforma as relações de consumo, o modo de viver e o trabalho. Assim, o conhecimento exigido anos atrás, hoje tende a estar defasado. É dessa perspectiva que surge o conceito de lifelong learning.

Adquirir novas habilidades e novos conhecimentos constantemente precisa ser encarado como uma forma de ser um profissional diferenciado. As soft skills, por exemplo, são competências bem apreciadas na era atual, mas não tinham esse impacto todo há alguns anos.

Continue a leitura e entenda melhor sobre essa concepção!

O que é lifelong learning?

Lifelong learning significa educação continuada. É algo muito mais amplo que a noção de treinamento e desenvolvimento. O conceito parte do princípio de que aquele modelo de educar alguém, em uma única função para o resto da vida, hoje não faz mais sentido.

Com o tamanho das transformações que vivemos, as exigências em todos os campos também mudam. Assim, o que ontem era delineado como uma competência essencial, hoje se torna básica.

Então, na educação continuada, o indivíduo tem seu aprendizado ao longo de toda a vida. Ou seja, seus estudos não param. Dessa forma, não existe uma educação como uma receita de bolo, com cursos de tempo limitado para fazer alguém ter sucesso na carreira.

Os pilares

O conceito de lifelong learning abrange 4 pilares: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver em comum e aprender a ser.

Em aprender a conhecer, a educação tem como objetivo a aquisição de saberes, que permitem à pessoa conhecer melhor seu meio social. Isso a torna mais capacitada a desenvolver o senso crítico.

Em aprender a fazer, a aprendizagem envolve não só a realização de tarefas, mas também o desenvolvimento de competências e habilidades para cada um conseguir trabalhar em situações desafiantes.

Em aprender a viver em comum, a aprendizagem abrange desenvolver vínculos sociais por meio da empatia.

Em aprender a ser, a educação visa ao desenvolvimento pessoal. O intuito é criar estratégias para desenvolver nas pessoas a autorregulação e a autonomia no processo de aprender.

Quais são as suas vantagens?

A partir do momento em que o indivíduo busca seu constante aprimoramento, tanto ele quanto a empresa tem a ganhar. Ele se torna mais competitivo e, assim, tem mais oportunidades de crescer na profissão. A empresa consegue maior desempenho organizacional, já que tem colaboradores mais bem preparados. Acompanhe!

Aperfeiçoamento durante a jornada do trabalhador

Como o lifelong learning não se prende ao modelo padrão de ensino, a pessoa pode buscar aperfeiçoar suas habilidades no momento em que for adequado. Assim, não é necessário, por exemplo, tentar conciliar um curso com a jornada de trabalho. Caso seja do interesse da organização e haja consentimento, o trabalhador pode estudar durante o expediente.

Atualização às novas tendências do mercado

Os colaboradores se tornam mais atualizados, colocam seus aprendizados em prática, têm melhor desempenho e dão resultados mais efetivos à organização. A consequência é ela estar mais preparada para lidar com o mercado concorrente.

Retenção de talentos na empresa

Com isso, a empresa tem funcionários mais competentes e motivados. Eles ficam mais bem preparados para as exigências do cargo e desafios diários. A retenção é maior e, dessa forma, a organização evita os problemas advindos de um turnover alto.

Como incentivar esse hábito na empresa?

Há várias formas de o RH incentivar esse hábito em seus colaboradores. Alguns deles estão listados a seguir!

Crie uma cultura de aprendizado contínuo

É muito mais fácil incentivar as pessoas a procurarem por conta própria aprendizados constantes quando a empresa tem esse valor injetado na cultura organizacional. É interessante que isso seja ressaltado ainda no momento da entrevista do candidato. Ao longo da função, ele precisa perceber o quanto os colegas e superiores estão engajados nos estudos contínuos. A zona de conforto não pode ser estimulada.

Promover oficinas, palestras e cursos de extensão dentro da empresa são alguns dos métodos de incentivar isso.

Dê tempo aos colaboradores

Muitas vezes, os funcionários têm diversas responsabilidades a cumprir quando acaba o expediente. São obrigações da vida pessoal, como dedicação aos filhos, por exemplo. Com isso, o aprimoramento educacional acaba ficando de lado.

Para evitar essa situação, permita que os estudos possam ser realizados durante o horário de trabalho. Os funcionários se motivam ao perceber o quanto a empresa os reconhece. A organização ganha por ter funcionários mais satisfeitos e dedicados.

Distribua metas de aprendizado

Metas são importantes, pois motivam a pessoa a executá-las. No entanto, elas precisam ser factíveis e interessantes a cada um. Assim, uma ideia é criar metas de aprendizado. Por exemplo: realizar uma quantidade X de horas/curso a cada semestre.

Incentivar o cumprimento de objetivos por meio da gamification também tende a dar certo. Nesse sentido, a empresa promove pontuações a cada trabalhador, de acordo com a carga horário estudada. Com isso, a cada contagem de pontos, o trabalhador teria direito a certos benefícios, como bônus salarial, dias de folga etc.

Crie grupos de estudos

É fato que as pessoas conseguem fixar melhor os conteúdos novos quando tentam ensiná-los. Sendo assim, pode valer a pena incentivar cada grupo a fazer cursos diferentes e depois juntar todos para que cada um ensine aos colegas o que aprendeu. Além de ajudar na fixação, há troca de conhecimentos e a promoção de novos relacionamentos.

Tenha boas tecnologias

Com os avanços que temos hoje, é impossível pensar em atualizar os conhecimentos sem a ajuda tecnológica. A internet e dispositivos inteligentes são facilitadores para que a educação continuada seja uma realidade na vida das pessoas.

Aulas online e webinars, por exemplo, eliminam várias barreiras, permitindo um acesso mais democrático. A consequência é maior motivação e proatividade para buscar o aprimoramento. Já o big data auxilia no armazenamento e na geração de uma grande quantidade de dados, o que viabiliza um conhecimento mais aprofundado da realidade e das necessidades da organização.

Assim, o lifelong learning precisa ser parte da filosofia das empresas que têm como objetivo atingir patamares cada vez mais altos. É importante lembrar que o sucesso depende dos colaboradores e, por isso, o investimento neles é uma forma de ter mais sucesso.

Quer saber o que a Woli é capaz de fazer por sua empresa e seus funcionários? Visite nossa página e conheça mais sobre nossos serviços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *