Liderança e motivação: qual a relação entre eles?

Tempo de leitura: 6 minutos

Sem dúvida, liderança e motivação são dois temas que não podem ser deixados de lado quando pensamos no sucesso organizacional.

Segundo o teórico organizacional Richard Daft, liderar é a habilidade de influenciar pessoas em direção às metas organizacionais. Assim, um bom líder é aquele que consegue manter a equipe engajada.

Já Stephen Robbins, doutor em Gestão de Pessoas, afirma que a motivação é a vontade de exercer altos níveis de esforços para alcançar os objetivos organizacionais. Isso quer dizer que uma equipe desmotivada tende a ficar na inércia e ter problemas com a produtividade.

Dito isso, podemos observar que ambos, além de importantes, estão diretamente relacionados. Quer entender melhor essa relação? Então, continue a leitura e veja algumas dicas para aumentar a motivação dos seus colaboradores!

O papel da liderança

Vários são os tipos de liderança exercidas e uma organização. Temos, por exemplo, a autocrática, a democrática e a liberal, cada uma com suas abordagens e contextos. No entanto, uma coisa é certa: seja como for, um bom líder precisa influenciar positivamente a equipe a caminhar visando sempre os objetivos corporativos.

O papel da motivação

Muitos consideram que a motivação vem de dentro. Afinal, para se comprometer com algo, a pessoa precisa ter vontade e enxergar um sentido no que faz. Isso é verdade —porém, fatores externos também exercem uma grande influência no nosso engajamento. Um clima organizacional negativo, por exemplo, ou a falta de incentivos na empresa desmotivam qualquer funcionário.

A relação entre liderança e motivação

Um líder precisa encaminhar e influenciar a sua equipe, para que ela obtenha bom desempenho. Se ele se sente infeliz, centraliza as informações e agride verbalmente os funcionários, por exemplo, acaba por criar um ambiente tóxico, colaborando para o aumento do absenteísmo e a rotatividade no setor.

Nesse sentido, podemos destacar algumas condutas do líder que são desejáveis para criar equipes motivadas. Entre elas, alguns exemplos: saber ouvir, tomar decisões no momento certo, ter um mindset progressivo e uma inteligência emocional bem desenvolvida e ser uma referência para os colaboradores.

Algumas dicas para motivar os colaboradores

Agora que já vimos a importância da motivação, vejamos como você pode mantê-la sempre presente na sua equipe!

Estabeleça metas

De acordo com Edwin Locke, professor de liderança e motivação, “a intenção de atingir um objetivo é um grande fator motivador”. Quando temos uma meta em mente (e a aceitamos), a tendência é que nos mantenhamos focados e estimulados até atingi-la. Mas, para que isso seja eficaz, existem algumas particularidades.

Primeiramente, a pessoa precisa acreditar que ela é capaz de conseguir. Ela tem de confiar que suas habilidades a levarão ao ponto almejado. Outra condição é a meta ser desafiante na medida certa — aquelas que são muito fáceis aumentam as chances da procrastinação, já as difíceis demais têm o efeito de desestimular.

Por fim, um terceiro requisito é a meta ser bem definida, para que a pessoa saiba exatamente o que ela precisa fazer. Lembre-se: metas genéricas podem confundir ou desincentivar.

Reconheça o trabalho dos colaboradores

Uma das maiores recompensas que você pode oferecer a quem doa parte do próprio tempo e energia a fim de trazer melhorias à sua empresa é reconhecer esse empenho. E existem boas formas de fazer isso.

Uma ideia é escrever elogios — que podem ser enviados mensalmente — ao e-mail daquele colaborador que mais se destacou. Oferecer vantagens, como a possibilidade de sair mais cedo na sexta-feira, para aqueles que atingiram as metas também é válido. Ainda, outra forma de reconhecimento é conceder planos de carreira, para que cada pessoa tenha a possibilidade de crescer na empresa.

Passe feedbacks constantes

Feedbacks são essenciais para que cada colaborador tenha consciência de que o seu trabalho está sendo benéfico à organização. Contudo, é preciso estar atento a como essa mensagem será passada para que não tenha um efeito indesejado, principalmente se houver pontos negativos a serem abordados.

Uma ideia interessante nesse sentido é inserir os pontos que precisam de melhorias no meio de elogios sinceros. Comece a conversa realçando aquilo que notou ser admirável no comportamento do funcionário, depois, comente sobre o que devia ser melhorado (podendo até indicar um programa de treinamento e desenvolvimento) e finalize mencionando outra qualidade. Assim, a conversa fica em um tom amigável e a pessoa não se sente tão ameaçada.

Analise as necessidades individuais

Cada um chega à empresa com expectativas e necessidades distintas — e supri-las é o que traz motivação. Quanto a isso, uma abordagem interessante é a da Teoria das Necessidades Adquiridas. Segundo ela, cada pessoa tem uma necessidade mais forte que as demais, que precisa ser satisfeita para que ela se sinta mais motivada. As 3 perspectivas são:

  • necessidade de afiliação — trata do desejo de estabelecer relacionamentos. Funcionários assim precisam criar laços com os colegas e sentir que pertencem ao grupo;
  • necessidade de poder — diz respeito à sensação de influência sobre os outros. Colaboradores com esse perfil costumam se motivar ao perceberem a possibilidade de chegar a cargos de destaque, por exemplo;
  • necessidade de realização — trata do sucesso, do reconhecimento e do destaque perante os demais. Pessoas assim têm uma carência mais forte por feedbacks positivos do trabalho.

É claro que existem ainda outras formas e teorias para identificar o que mais motiva cada um. Grosso modo, o mais importante é saber que essa motivação é individual, e não deve ser generalizada.

Cuide do clima organizacional

Um dos fatores que mais influenciam a motivação dos colaboradores é o clima organizacional — conceito que se define na percepção que os colaboradores têm do ambiente de trabalho. Um local hostil, onde haja muitas fofocas e falsidade, por exemplo, pode fazer com que as pessoas adoeçam e não se sintam empenhadas em ir atrás das metas.

Por isso, faça pesquisas sobre o seu clima organizacional. Analise a disposição do ambiente, preocupe-se em garantir que cada um tenha seu espaço organizado e tente flexibilizar os horários do expediente, proporcionado confiança de que cada funcionário cumprirá com suas obrigações.

Enfim, não se esqueça de que é fundamental cuidar bem dos nossos colaboradores, pois eles são os maiores bens dentro de uma organização. E é por isso, como vimos, que aspectos como liderança e motivação são tão essenciais quando pensamos em satisfação e otimização do desempenho.

E aí, gostou do artigo? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e receba na sua caixa de e-mails mais informações importantes sobre o papel do RH na empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *