Como lidar com um funcionário insatisfeito e por que escutá-lo?

Tempo de leitura: 6 minutos

Você sabia que um funcionário insatisfeito pode mudar o ambiente corporativo de forma negativa e impactar outros colaboradores? Esse tipo de situação pode e deve ser evitada o máximo possível, e para conseguir alcançar esse objetivo é preciso organização, atenção redobrada e muitas políticas de incentivo dentro da sua empresa.

Porém, se você já identificou que o problema realmente existe e não é algo de agora, é preciso pensar em estratégias para conversar e entender esse colaborador. Afinal, não há como resolver esse impasse se você, de fato, não parar para analisar de frente a situação e chamar o profissional para um bate papo franco e com foco em um único objetivo: solucionar a questão.

E, pensando em ajudar você nesse sentido, listamos algumas dicas que podem fazer toda a diferença nesse momento delicado e que requer um cuidado a mais. Confira!

Pratique o profissionalismo

Se você tem um funcionário insatisfeito, a melhor coisa é manter o profissionalismo, mesmo se existir uma relação bem próxima sua com o colaborador. E isso tem um motivo: ficará mais fácil e tranquilo tratar da situação e procurar a melhor solução possível para ambas as partes. Mas, e como fazer isso?

Quando falamos em praticar o profissionalismo em casos de colaboradores insatisfeitos e com grandes chances de largarem seus postos, isso quer dizer que você deve manter a seriedade, pontuar as necessidades da empresa e do profissional e ir a fundo para compreender o que de fato ocorreu. Converse sempre com o colaborador com foco no ambiente corporativo.

Você verá que isso realmente ajudará a lidar com o problema. Lembre-se de que é importante também verificar todos os bons resultados que esse funcionário já trouxe para a empresa e colocar na balança a sua importância para a companhia.

Ouça e apure os fatos

Nada melhor do que resolver um problema do que conversando. Se aproxime do colaborador e veja o que aconteceu para que ele esteja insatisfeito com o trabalho ou a empresa. Anote tudo o que ele disser para que, depois, seja feita uma apuração desses fatos que ele contou. O importante aqui é descobrir o X do problema e, a partir disso, pensar de que forma o resolver.

Se você quiser, é possível também conversar com outras pessoas da equipe que o profissional faz parte. Mas atenção: não deixe que o problema de um colaborador vá gerando mais e mais problemas, com o compartilhamento do que ele está passando. Aqui, o intuito é até mesmo checar se outras pessoas estão passando pelo mesmo.

Um fato muito importante que não deve jamais ser esquecido é que quando se tem um funcionário insatisfeito, muitas vezes o restante da equipe começa a sentir os impactos desse problema e, no pior cenário, os próprios clientes passam a notar mudanças significativas no atendimento — e isso você precisa ter cautela para que não aconteça.

Analise o impacto da situação

Com as respostas do que está acontecendo em mãos, a dica é colocar na mesa todas as áreas que podem ou já foram impactadas com a insatisfação do colaborador. Isso ajudará você a detectar o tamanho do problema, se ele é tranquilo de resolver ou se demanda o esforço de outros profissionais de gestão e RH.

É só com essa análise do impacto que tudo começará a ser planejado, visando sempre o fim do problema, a melhora da satisfação do colaborador e o equilíbrio da empresa. Pode parecer um tanto complicado resolver tudo isso quando se está diante de um momento delicado, mas com a dedicação e atenção certas as coisas tendem a sair bem e todo mundo voltar ao normal.

Para ajudar você nessa análise, por exemplo, é bom contar com a ajuda do próprio gestor da equipe em que o colaborador trabalha. Essa pessoa é fundamental para mostrar de que forma desenvolver uma estratégia com foco na melhoria do bem-estar do funcionário, além de também já prevenir futuras possibilidades de insatisfações — o que é excelente.

Veja se há como negociar

Passada a etapa de análise, chegou o momento de negociar. E isso envolve tanto a empresa quanto o profissional. Por exemplo: o colaborador está insatisfeito porque está trabalhando a mais todos os dias e não consegue tirar alguns dias de folga para descansar e organizar sua vida pessoal e sente o peso de muitas horas trabalhadas. O que fazer?

Veja com o gestor dessa pessoa as chances de ele tirar alguns dias de folga ou, até mesmo, chegar um pouco mais tarde no trabalho em alguns dias da semana. Em contrapartida, verifique com o profissional o que ele realmente deseja, e se ele está aberto a essas possibilidades de flexibilidade.

Outro caso é a questão do salário. Você tem um funcionário com os rendimentos congelados há mais de 1 ano? Provavelmente ele deve estar insatisfeito e se perguntando quando terá mesmo um aumento no salário. O ideal é conferir junto à empresa, na área financeira, se há uma previsão para que isso ocorra e repassar essa informação ao colaborador. No mais, é essencial verificar se há como negociar em qualquer tipo de caso que você venha a enfrentar.

Invista na capacitação do funcionário

Depois de uma situação de estresse e problemática que é a insatisfação dentro de uma empresa, uma das saídas mais interessantes é investir na capacitação do colaborador. Isso ajuda o profissional a ganhar um fôlego a mais no trabalho, sem contar que renova suas habilidades e dá novas perspectivas no ambiente corporativo.

Isso também demonstra que a empresa se preocupa com o plano de carreira do colaborador, quer investir na sua capacidade de trabalho e formá-lo ainda mais para que esteja sempre preparado e atualizado para todos os desafios que podem vir pela frente — etapa natural no crescimento de qualquer empresa.

Agora que você conferiu algumas dicas de como lidar com um funcionário insatisfeito, não hesite em tentar resolver o problema o quanto antes. Lembre-se de que essa pessoa é peça fundamental para a sua empresa e oferecer um ambiente de trabalho interessante e dinâmico é uma das melhores opções para sempre ter seus melhores colaboradores por perto!

Gostou? Então, continue a leitura e veja alguns dos principais motivos para investir no treinamento de funcionários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *