Saiba mais sobre como reter a geração Z na empresa

Tempo de leitura: 18 minutos

Reter a geração Z na empresa tem sido um desafio para muitos gestores. Esse novo público de colaboradores traz consigo muito potencial, mas ainda parece complicado mantê-lo dentro do ambiente corporativo. E quais seriam as razões para esse fato?

Os jovens “Zs”, que atualmente se encontram na faixa entre os 16 e os 30 anos, estão despontando no mercado de trabalho trazendo mudanças e revolução. Essa geração traz características bem diferentes das anteriores: ela surgiu em um período em que a tecnologia virtual já era abundante, as formas de comunicação vinham se transformando e novas maneiras de pensar estavam ganhando força.

Consequentemente, o ambiente profissional e o mercado atual também têm sido afetados por novidades, precisando se adaptar para receber esses colaboradores. Por isso, neste texto, você encontrará maiores informações sobre essa geração e poderá conhecer sugestões de como retê-la em sua empresa. Está preparado? Então vamos começar a leitura!

Afinal, quem é a geração Z?

Apesar de não haver uma data específica que determine o início da geração Z, a maioria dos especialistas considera que ela refere-se às pessoas que nasceram a partir dos anos 90. Ou seja, atualmente, ela integra de crianças até jovens adultos.

A seguir, conheceremos um pouco do contexto em que tal geração nasceu e abordaremos brevemente algumas das características que costumam ser comuns a ela, antes de entrarmos no assunto do mercado de trabalho propriamente dito. Confira!

O contexto da geração Z

Quando ela surgiu, o avanço tecnológico já estava em alta e só vem aumentando até os dias de hoje. Isso trouxe, certamente, um impacto muito forte para esses jovens, que cresceram em um mundo bastante diferente daquele das gerações anteriores.

Com o surgimento de equipamentos e aparelhos cada vez mais modernos, o acesso à informação cresceu consideravelmente e se tornou bem mais veloz. As pessoas passaram a ter a possibilidade de acessar diversos conteúdos que antes pareciam distantes.

Os meios de comunicação, produção e lazer também foram se alterando com o crescimento do mundo digital. Assim, pode se considerar a tecnologia como um grande marco da geração Z.

Algumas de suas características

Como foi explicado acima, o avanço da tecnologia acelerou os processos de comunicação e de trabalho, dentre outros fatores do cotidiano. Além disso, os jovens passaram a ter acesso a um número bem mais amplo de informações e conteúdos.

Há quem diga, inclusive, que a geração Z é a primeira geração verdadeiramente global, consideradas as suas possibilidades de alcance. Tudo isso acaba por influenciar, de diversas maneiras, as pessoas que cresceram nessa época, as suas ações e as suas perspectivas.

Com tantas informações disponíveis, os jovens têm possibilidades ilimitadas de interesse e aprendizagem. Eles descobrem novos hobbies e formas de trabalho e de consumo, além de ampliarem os seus conhecimentos e se tornarem mais críticos.

O interesse por questionar e debater assuntos diversos e a vontade de participar também são fatores marcantes. A juventude dessa geração tende a não aceitar mais imposições não justificáveis, autoritarismo muito forte e hierarquias verticais, desejando se expressar e se posicionar. Eles também procuram não se rotular, quebrando estereótipos e dando espaço à fluidez.

A geração Z costuma estar sempre procurando informações e inovações. Os smartphones têm sido cada vez mais utilizados e, consequentemente, até os computadores vêm tendo menor uso.

Essa geração também valoriza informações personalizadas e o chamado cool factor: valor atribuído, normalmente, a coisas muito divulgadas e bem-vistas pelos outros jovens. Eles costumam ser bem inclusivos e abrir espaço para a diversidade.

Percebe-se, assim, que essa geração apresenta várias particularidades, que também influenciam em seu modo de trabalhar. Vamos abordar isso com maior profundidade a seguir!

Quais as particularidades da geração Z no mercado de trabalho?

Os jovens da geração Z estão começando a entrar no mercado de trabalho, trazendo consigo as inovações e particularidades de sua época. Esses profissionais agregam diversas vantagens para as empresas. No entanto, muitas têm dificuldades para retê-los, por não saberem como lidar com as novidades dessa geração.

Quais as características dos profissionais da geração Z?

Os jovens “Zs” costumam ser otimistas, empolgados e abertos a mudanças e experiências. Eles têm um bom domínio da tecnologia, são inclusivos e lidam bem com a fluidez. Estas são apenas algumas das vantagens de sua contratação.

Além disso, essa geração tem muito a contribuir com a empresa porque tende a buscar o seu crescimento dentro dela e dá grande valor às oportunidades de aprendizado. Trata-se de jovens pragmáticos e que têm a habilidade de dividir a atenção em mais de um foco ao mesmo tempo. Assim, eles acabam sendo multifuncionais, apesar de não gostarem de ser sobrecarregados com tarefas.

A geração Z tem facilidade em se organizar e reorganizar em equipes de acordo com as demandas. Os trabalhadores são dinâmicos, determinados e críticos, com desejo de realmente participar e se integrar.

Outra característica muito marcante desse público é o fato de que, na maioria dos casos, o dinheiro e os salários deixam de ser o foco principal. Essa geração passa a dar bem mais importância à sua satisfação, valorizando o prazer e buscando o trabalho com algo de que goste.

Os projetos e as oportunidades a longo prazo continuam sendo importantes para tais profissionais. No entanto, eles também demonstram forte interesse nas possibilidades e recompensas mais imediatas (a curto prazo).

E quais são os desafios das empresas para reter profissionais da geração Z?

Muitas organizações têm dúvidas sobre como lidar com a geração Z e acabam tendo dificuldades para manter profissionais dessa faixa etária na empresa. Com isso, perdem talentos e colaboradores que poderiam contribuir muito para o seu desenvolvimento.

Os jovens dessa geração são mais desapegados, além de costumarem não sentir tanta confiança nas organizações no que se refere à estabilidade. Mesmo querendo crescer profissionalmente, eles não percebem muitas chances de uma ascensão rápida, e isso os desanimam.

Além disso, os “Zs” têm o hábito de não ver problemas no fato de trocar de emprego: eles procuram mudar de cargo e de posição até acharem algo que os deixem à vontade e satisfeitos.

Hierarquias verticalizadas (como já dissemos), autoritarismo muito forte ou imposições sem explicação são outros fatores que afastam a geração Z das empresas. Acontece que um grande número de organizações ainda utiliza algumas dessas posturas, e isso não é bem-aceito.

Com base em tudo isso, podemos concluir que as maiores dificuldades para reter a geração Z estão ligadas às culturas rígidas e às posturas organizacionais conflituosas com as perspectivas dos jovens. Esse fato, entretanto, pode ser alterado com algumas adaptações por parte do meio organizacional, e é disso que trataremos daqui para a frente neste post.

Como recrutar talentos da geração Z?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a geração Z e a sua forma de pensar, vamos passar para algumas dicas práticas de como reter profissionais dessa faixa etária em sua empresa. Começaremos, porém, tratando do processo de recrutamento, que também pode ser adaptado para atrair essa geração.

Antes de mais nada, é importante lembrar que esses jovens têm bastante facilidade para ignorar conteúdos que não chamem a sua atenção imediatamente. Por isso, o seu anúncio deve ser atraente já à primeira vista, para chegar ao maior número de candidatos. Confira, a seguir, mais dicas para recrutar a geração Z!

1. Anuncie e mantenha canais de comunicação na internet

O mundo digital faz parte da vida da geração Z, e muitos desses jovens veem a internet como a maneira mais eficiente de se comunicar.

Redes sociais, mensagens de texto e vídeos, dentre diversas opções, podem ser utilizados como um canal de acesso a esse público. É muito válido os gestores passarem a trabalhar com a tecnologia no ambiente corporativo, e isso já se inicia com o recrutamento, utilizando o marketing digital.

Faça o seu anúncio em plataformas como sites de emprego e mídias sociais, lembrando que cada espaço tem seu formato e linguagem adequados. No Twitter, por exemplo, é possível se comunicar de modo mais descontraído e até mesmo abrir fóruns de discussão, em que os jovens possam interagir. Já no YouTube, os vídeos em formato de tutorial têm alta visibilidade, e por aí vai.

Outra opção, ainda, é utilizar ferramentas digitais ao longo do processo de recrutamento em si. Muitas empresas realizam entrevistas iniciais por Skype, por exemplo. É claro que um encontro presencial é de extrema importância para se conhecer melhor um possível futuro colaborador. No entanto, o recurso virtual é um bom aliado no começo da seleção.

2. Ofereça bons salários e autonomia

Como já dito, os jovens da geração Z costumam se preocupar mais em fazer o que gostam do que com o salário propriamente dito. No entanto, eles também são ambiciosos e se atraem por trabalhos que lhes permitam crescer, ao mesmo tempo em que oferecem uma boa remuneração.

Divulgue vagas nas quais eles possam desenvolver o seu potencial, aprender e exercitar autonomia, se tornando cada vez mais independentes.

3. Trabalhe com horários flexíveis

Aquelas jornadas de trabalho bem tradicionais, das 8h às 18h, por exemplo, não são tão atraentes para a geração Z.

Apesar de serem bastante engajados e terem grande interesse pela aprendizagem, os jovens não valorizam padrões tão rígidos. Além disso, eles gostam de intercalar o seu trabalho com outros afazeres, como práticas esportivas ou atividades sociais.

Esse é um dos atrativos do empreendedorismo e do trabalho autônomo na perspectiva da geração Z: eles têm a possibilidade de montar os seus próprios horários. As empresas, no entanto, podem encontrar formas de se adaptar a isso, se modernizando e despertando o interesse dos profissionais.

4. Engaje-os em uma causa

Os jovens da geração Z gostam de participar. Eles não trabalham com o salário como foco principal e desejam que a sua ocupação seja significativa para eles mesmos. Muitas vezes, os “Zs” procuram algo que tenha um propósito, seja ele voltado para um ponto pessoal ou para o mundo.

Assim, engajar esses profissionais em uma causa favorece a motivação e a produtividade. As empresas devem estar cientes de que a nova geração busca, cada vez mais, atividades relevantes que se alinhem de algum modo com os seus desafios e objetivos. O melhor caso é quando eles conseguem causar um impacto positivo ao mesmo tempo em que também ganham recursos.

Associado a esse fato, vale lembrar que é positivo para a organização dar feedbacks, para que os jovens acompanhem o desenvolvimento de seu trabalho. Isso deve ser feito de forma tranquila, demonstrando apoio e consideração à causa e aos colaboradores.

Como reter a geração Z na empresa?

Após recrutar a geração Z para a sua organização, é preciso pensar em maneiras para manter os colaboradores motivados e engajados no trabalho. Muitas empresas têm dificuldade nisso e acabam perdendo esses funcionários. No entanto, é possível mudar essa situação com certas atitudes. Veja, a seguir, algumas dicas para reter a geração Z na empresa.

1. Seja transparente

A geração Z valoriza a comunicação, e isso não é diferente no mercado de trabalho. Eles gostam de conhecer a organização e saber sobre a sua realidade atual, ao mesmo tempo em que não apreciam a falta e a omissão de informação. Assim, ser transparente com esses colaboradores conta muitos pontos para que se sintam integrados e valorizem a empresa.

Também é importante deixar os jovens conhecerem os valores e a missão da companhia. Eles procuram organizações éticas e ideais verdadeiros. Além disso, ser transparente na tomada de decisão é um outro fator de importância.

2. Respeite a diversidade

A diversidade é parte da realidade da geração Z. Eles costumam não se apegar demais a tendências, modismos e papéis tradicionais, valorizando particularidades e individualidades de cada um.

Isso está presente em diversos fatores: no estilo pessoal, no gênero, no modo de se expressar, na identidade coletiva e por aí vai. É importante respeitar e valorizar essa diversidade, em vez de barrá-la (como acontece em algumas empresas).

3. Importe-se com o mundo

A geração Z cresceu presenciando certos desequilíbrios, como no meio ambiente, na economia e na política. Por esse motivo, é comum que esses jovens sintam responsabilidade de ajudar o mundo. Preocupações com o futuro, com a sociedade e com o planeta fazem parte dessa realidade.

Se a organização compreende e valoriza esses pensamentos, ela será vista de um modo mais positivo pelos jovens “Zs”. Contribuir em causas e colaborar com a sustentabilidade também são atitudes diferenciais, tanto para atrair a geração Z quanto para ajudar a melhorar o mundo.

4. Seja simples, autêntico e natural

A geração Z tem uma grande habilidade para filtrar informações. É comum que os jovens sejam práticos e objetivos, preferindo otimizar os processos, em vez de colher uma quantidade exagerada de dados. Por isso, é importante que a empresa se comunique com eles de forma simples, sem necessidade de divagação.

Essa geração também dá muito valor à espontaneidade e à singularidade. Assim, ser verdadeiro e autêntico é mais importante do que tentar seguir algum modelo, por exemplo.

Tudo isso ajuda para que os jovens se identifiquem e simpatizem com a sua organização. Podemos dizer, aqui, que autenticidade, simplicidade e naturalidade são palavras-chave.

Lembrando que os Recursos Humanos podem ser de grande auxílio para estabelecer esse tipo de diálogo com os colaboradores da geração Z, já que esse setor funciona como um interlocutor entre gestores e funcionários na empresa.

5. Demonstre que os colaboradores são valorizados

Para aproximar ainda mais a empresa dos profissionais, é importante demonstrar que eles são reconhecidos e valorizados.

Procure oferecer apoio aos jovens, auxilie-os no desenvolvimento de suas carreiras, dê feedbacks e lembre-se de elogiá-los quando mostrarem bom desempenho. É claro que isso não deve ser feito de maneira forçada ou exagerada, mas ser reconhecido é sempre um bom incentivo.

Muitas empresas também oferecem apoio nos estudos, com bolsas, ou mesmo, com horários especiais para os estudantes. Quanto ao mercado de trabalho, fornecer recursos como treinamentos, workshops e palestras também é algo muito válido.

6. Ajude-os a compreender o seu papel na empresa

Auxiliar os jovens a compreender o seu valor na companhia é uma atitude muito válida da área de gestão de pessoas no gerenciamento e retenção da geração Z. Dê a eles o contexto da empresa, explicando como as coisas costumam funcionar e a situação atual, e ajude-os a entender como eles podem participar e se encaixar nesse local.

Mostre aos colaboradores como o seu trabalho tem um papel naquela organização e como isso é importante. Além disso, mostre disposição para ouvi-los, tire possíveis dúvidas e ajude-os a se integrar à sua função e à empresa de modo geral. Demonstrar apoio e abertura é um grande diferencial para que a geração Z se sinta acolhida.

7. Ensine como eles podem se autogerenciar

A independência é algo bem importante para a geração Z, e a empresa pode ajudar com isso. Ensine aos jovens como eles podem se autogerenciar, considere os projetos e desejos profissionais de cada um, os auxilie a pensar em formas de concretizá-los e mostre meios que podem usar para crescer profissionalmente.

Claro que cada empresa encontrará a sua forma de fazer isso. No entanto, vale citar, mais uma vez, o oferecimento de palestras, treinamentos e workshops como um recurso cabível.

8. Disponibilize acesso à internet sem restrição

A tecnologia faz parte do cotidiano da geração Z, e muitos jovens a utilizam, inclusive, para otimizar a sua produtividade. Além de a liberação do uso da internet e de aparelhos eletrônicos contribuir para a motivação desses colaboradores, isso realmente pode ser útil em sua produtividade. Afinal, no mundo de hoje, podemos nos valer de tais recursos para encontrar informações de maneira rápida e prática.

Permita que os colaboradores utilizem smartphones, acessem redes sociais e façam pesquisas online quando acharem necessário.

9. Estimule a colaboração

Muitos jovens da geração Z valorizam o estabelecimento de conexões e parcerias, mesmo com pessoas e grupos totalmente diferentes. Por isso, estimular a colaboração mútua e a comunicação na empresa pode ser um bom meio de reter esses profissionais.

Incentive a troca de experiências e forneça plataformas colaborativas, que favoreçam o intercâmbio de informações dentro da organização.

Como a cultura da sua empresa pode se adaptar à geração Z?

Com o que foi dito até aqui, fica mais fácil compreender que a cultura da empresa tem um papel bastante significativo na retenção de profissionais da geração Z. No entanto, muitas vezes acontece de essa cultura precisar fazer certas adaptações para acolher esse novo perfil de colaboradores.

Não são tão raros os casos em que os jovens chegam à empresa e encontram um ambiente rígido ou sem tanta abertura, e isso se contradiz com aquilo que essa geração valoriza. Se a organização se mantém fechada em um modelo exageradamente conservador, ela terá dificuldades maiores para atrair e reter esse novo público.

Assim, é necessário buscar conhecer e entender a geração Z, para identificar meios de se adaptar e estratégias que ajudem a integrar esses profissionais.

Nesse sentido, a comunicação no RH pode desempenhar um papel de extrema importância, ajudando a compreender o perfil e as necessidades dos jovens trabalhadores e a estabelecer um bom diálogo entre eles e a gestão.

A valorização da tecnologia e da inovação, o apoio à vida profissional dos colaboradores, o uso de uma linguagem próxima à deles e a quebra de padrões exageradamente rígidos ou autoritários também são alguns passos que a empresa pode tomar. Além disso, é válido utilizar a criatividade. Tudo isso favorece a retenção da geração Z.

Sentir-se acolhido e valorizado e perceber-se, parte importante do funcionamento organizacional é, muitas vezes, o que manterá o trabalhador engajado na empresa. Por isso, é essencial possibilitar também um sentimento de pertencimento.

A geração Z apresenta um novo estilo de vida e de trabalho, que pode pedir certas adaptações por parte da organização. No entanto, esses passos são mais simples do que parecem e têm grande valor, não apenas para atrair jovens trabalhadores, mas também para tornar a empresa mais moderna e mais atual.

Esperamos ter ajudado com as dicas para reter a geração Z na empresa! Fique por dentro de mais conteúdos e novidades assinando a nossa newsletter.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *