5 dicas para desenvolver a resiliência no trabalho em equipe

Tempo de leitura: 6 minutos

Resiliência é um termo que nem sempre é bem compreendido. No entanto, pode fazer uma diferença enorme na vida pessoal, profissional e no cotidiano de uma empresa. A resiliência em trabalho de equipe é ainda mais importante para o alcance de bons resultados.

Neste post você descobrirá o que é resiliência, qual sua importância para o trabalho de equipe, como desenvolver essa atitude no dia a dia e, ainda, qual o papel da resiliência para o gestor de uma equipe. Vamos lá?

O que é resiliência?

Originalmente, a resiliência é um termo utilizado na Física. Exprime a capacidade que alguns materiais têm de retornar ao estado original, mesmo depois de submetidos a alguma deformação. A exemplo disso está um utensílio de borracha que, ao ser pressionado, volta rapidamente à sua forma.

Com pessoas, esse conceito é muito semelhante. Resiliência em gestão de pessoas significa a capacidade de superar dificuldades com resultados produtivos. A diferença, nesse caso, é que se depois da experiência a pessoa retornar ao seu estado “original”, ela não aprendeu o suficiente com o que viveu.

O ideal é que pessoas que tenham sido submetidas a experiências transformadoras consigam passar por isso de forma produtiva para que, ao final, sejam diferentes do que eram. Logo, resiliência também pode ser vista como uma habilidade de enfrentar problemas com soluções criativas e ainda aprender com isso.

Não é difícil supor que essa é uma das características dos profissionais de sucesso, não é mesmo? Afinal, se você é capaz de enfrentar problemas com determinação e ainda consegue solucioná-los, tirando algo de produtivo da situação, dificilmente algum desafio será grande demais para você.

Qual a importância da resiliência em trabalho de equipe?

A resiliência é uma das características que permitem que uma equipe atinja um alto desempenho. Isso só acontece porque, em vez de seus membros ficarem reclamando e focando nos problemas, eles buscam as soluções e cooperam para atingir um objetivo comum, o resultado.

Basicamente, a resiliência diz respeito à capacidade de uma equipe “aguentar a pressão” caso alguma atividade fuja do planejado. Isso não significa que seus membros não tenham um limite físico ou cognitivo, mas que sabem administrar sua energia e habilidades para obter bons resultados.

A pressão pode ter consequências muito positivas ou negativas, dependendo do ambiente em que está inserida e da capacidade de resiliência dos seus membros. A sobrecarga advinda eventualmente de algum imprevisto pode ser produtiva. No entanto, fazer com que uma equipe trabalhe frequentemente sob pressão é prejudicial e desmotivador.

Portanto, conseguir gerenciar as informações dispostas e os fatores limitantes de uma determinada situação é essencial para que uma equipe consiga resolver problemas de forma produtiva. Por isso, esse acaba sendo um fator que diz muito sobre o nível de performance que um grupo de trabalho é capaz de atingir.

Como desenvolver essa atitude no dia a dia?

Desenvolver resiliência em trabalho de equipe é parte de um processo de autodesenvolvimento para depois se tornar coletivo. Para isso, o grupo de trabalho precisa apresentar algumas características que devem ser percebidas no conjunto, mas cabe a cada um de seus membros desenvolvê-las em si mesmo.

1. Eficácia

A eficácia diz respeito à capacidade de executar as ações necessárias para atingir os objetivos desejados. Seu significado dentro de uma equipe significa alcançar um resultado de forma satisfatória. Desse modo, ainda que um grupo consiga transpor certas dificuldades, se não for eficaz em suas soluções não necessariamente será resiliente.

Para desenvolver essa habilidade o grupo precisa realizar uma análise de sua atuação e identificar pontos de melhoria. Nesse sentido, é seu dever reconhecer os motivos pelos quais os objetivos não estão sendo alcançados e estabelecer planos de ação que garantam a correção.

2. Empatia

Excelente para quem precisa alcançar a eficácia em seus processos, a empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro e compreendê-lo a partir do ponto de vista dele. É muito importante que os membros de uma equipe consigam desenvolver empatia entre si.

Para exercitar essa habilidade, podem ser realizadas dinâmicas de leitura — seja de literatura, biografias ou ficção. Isso aumenta a capacidade imaginativa de cada indivíduo de uma equipe. Filmes e trabalhos sociais voluntários também são ótimas formas de aumentar a empatia.

3. Flexibilidade

A flexibilidade se refere à capacidade que uma equipe tem de tolerar a ambiguidade e também usar a criatividade. Equipes pouco flexíveis acabam insistindo em opções que nem sempre trazem bons resultados; enquanto isso, as bastante flexíveis procuram formas diferentes de resolver um mesmo problema.

Para melhorar a flexibilidade de um time de trabalho, podem ser desenvolvidas práticas que associam o exercício da flexibilidade corporal com a mental, como ioga. Treinamentos de criatividade e a interação com outras equipes também são fortes aliados.

4. Persistência

A persistência é o que permite que a equipe encare situações adversas com otimismo e confiança, sem desistir. É uma habilidade muito importante para garantir que, mesmo que algumas tentativas sejam falhas, o grupo de trabalho continue buscando outras alternativas.

Para desenvolver a persistência, podem ser trabalhadas algumas práticas esportivas em grupo. Desse modo, a equipe aprende a fortalecer sua disciplina e pode perceber que nem tudo o que é realizado acontece por vontade, mas, muitas vezes, por necessidade.

5. Solução de problemas

Equipes resilientes estão sempre prontas para diagnosticar problemas e trabalhar em busca de soluções. Seu foco é no planejamento e na execução de alternativas, sem abrir mão do controle emocional. Assim, a equipe consegue analisar o que pode ser aproveitado de uma situação inesperada.

Essa característica pode ser fortalecida com jogos de estratégia, que forçam a pensar alternativas viáveis ou soluções. Outra opção é trabalhar fortemente a elaboração e execução de planos de ação para melhoria de problemas reais da empresa, por exemplo.

Qual o papel da resiliência para o gestor de uma equipe?

Na gestão de equipes, a resiliência tem um papel igualmente importante. Entre os principais impactos gerados estão:

  • maior confiança: o líder passa a ser uma referência de calma e estratégia para enfrentar momentos de crise;

  • estratégias emergenciais: um gestor resiliente tem melhores condições de desenvolver boas estratégias de emergência, extraindo de cada situação o melhor que ela pode oferecer;

  • tomada de decisões: a resiliência impede que um gestor se intimide diante de decisões importantes, pois ele tem equilíbrio emocional para avaliar cada situação;

  • mais empatia: a resiliência faz com que o gestor esteja preparado para observar algumas situações com base em diferentes perspectivas, se colocando no lugar do outro.

Agora que você já sabe o que é resiliência em trabalho de equipe, qual a sua importância, como desenvolvê-la no dia a dia e qual o seu papel para o gestor, que tal postar este conteúdo nas suas redes sociais? Compartilhe o post e ajude os seus contatos a entenderem a importância da resiliência no trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *